TCE MAIO
(67) 99826-0686

Afogamento no rio Taquari é investigado como homicídio culposo

Homem de 33 anos acabou morrendo após barco virar

24 OUT 2016
Redação
13h59min
Foto: Angela Bezerra

O afogamento que resultou na morte do motorista Edemir Francisco de Araújo, 33 anos, está sendo tratado como homicídio culposo, conforme o delegado da Polícia Civil, Gustavo Mussi. O acidente aconteceu na tarde de sábado (22), no rio Taquari, na zona urbana de Coxim.

De acordo com informações do site Edição de Notícias, o barco vai ser submetido a perícia para saber se a capacidade suportava oito pessoas, sendo uma criança. O delegado informou que os sete adultos estavam sem coletes, que pode ter sido fundamental para salvar a vida do menino, que estava protegido com o equipamento.

O delegado confirmou que a versão dos envolvidos é de que todos estavam passando o dia em um rancho e decidiram passear de barco, que tombou quando o piloteiro seguia para a margem do rio. Demi, como era conhecido, ainda tentou desvirar o barco e ajudou algumas pessoas, mas acabou sendo levado pelas águas.

Seu corpo foi encontrado no domingo (23), na ilha da Goiaba, a aproximadamente 5 quilômetros do local do acidente. O enterro foi às 8 horas desta segunda-feira (24), no cemitério Central de Coxim.

Os outros ocupantes passam bem. Além da criança, estavam na embarcação Valdir de Oliveira Filho, 41 anos (piloteiro), Clenia Martiliano Soares de Oliveira, 31 anos, Elvis Alves Ramos, 28 anos, Lucimar Lopes dos Santos, 28 anos, Rosana Pereira dos Santos, 18 anos e Tais Fernanda dos Santos, 20 anos.

Veja também