Menu
sábado, 18 de setembro de 2021 Campo Grande/MS
Interior

Associação de bares e restaurantes repudia lockdown em Dourados

"Sem poder trabalhar, empresários e funcionários não terão como se manter nesses 14 dias e muitos sequer conseguirão reabrir as portas, após o lockdown”, diz a Abrasel

29 maio 2021 - 17h03Por Diana Christie

A Abrasel Regional Sul/MS (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) emitiu, neste sábado (29), uma nota de repúdio ao lockdown em Dourados, que tem como objetivo conter a disseminação do novo coronavírus.

Para o presidente da associação, Marcos Enéias Pereira Santos, são 14 dias de fechamento de bares e restaurantes, “com restrições até mesmo ao sistema delivery, deixando-os à mercê de prejuízos que poderão gerar desemprego e falências”.

“Bares e restaurantes seguem rígidos protocolos de segurança e empregam dezenas de pessoas que ficarão sem o sustento de suas famílias. Sem poder trabalhar, empresários e funcionários não terão como se manter nesses 14 dias e muitos sequer conseguirão reabrir as portas, após o lockdown”, diz a nota.

A entidade considera que as severas restrições adotadas não terão efeito prático na diminuição de casos, uma vez que os municípios da macrorregião de Dourados não tomarão as mesmas medidas restritivas, as divisas da cidade não serão fechadas e a circulação de doentes e infectados vindos de outros locais continuará sobrecarregando o sistema de saúde.

A Abrasel é bem incisiva quanto às restrições ao atendimento por delivery no município. “O setor precisa de alternativa e o sistema de entregas é consenso entre os órgãos competentes, até mesmo a OMS, como a melhor possibilidade para atender a alimentação da população”, argumenta.

Por fim, a associação pede às autoridades que reavaliem a decisão, “sob pena de ocasionar um grave colapso social e econômico no município, sem conseguir controlar a pandemia”.

Boletim covid-19

O cenário atual da covid-19 em Mato Grosso do Sul é alarmante e mais um dia triste foi registrado no estado, que contabilizou 58 novas mortes pela doença nas últimas 24 horas, conforme anunciado pelo boletim epidemiológico no início da tarde deste sábado (29).

Com o novo registro, o estado acumula 6.741 óbitos pelo coronavírus desde o início da pandemia, em março do ano passado.

Além dos números assustadores causados pelos óbitos, uma nova onda de crescimento de casos está sendo registrada em Mato Grosso do Sul. Neste sábado, por exemplo, foram 2.998 novas infectados, elevando o total para 287.157 confirmações.

Contudo, ainda restam 9.916 casos sem encerramentos que aguardam a atualização dos municípios e outras 3.677 amostras em análise no Lacen.

Campo Grande é a cidade que contém mais casos confirmados desde então, são 103.767 casos, acompanhados de Dourados com 31.618 e Três Lagoas com 15.856.