(67) 99826-0686

Circuito de Teatro apresenta espetáculo 'Subcutâneo' esse fim de semana em Corumbá

Espetáculo apresenta uma realidade extremista do futuro, onde o Estado deixa de ser laico e as minorias são exterminadas

3 DEZ 2016
Assessoria
17h19min
Foto: Helton Pérez

O Circuito Sul-Mato-Grossense de Teatro atravessa o Estado com apresentações gratuitas do espetáculo “Subcutâneo”, do grupo Teatro de Dois. A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul pega a estrada entre os dias 3 e 7 de dezembro e leva a peça a Corumbá, passa em seguida por Dourados e desembarca em Paranaíba.

Nos dias 3 e 4 de dezembro (sábado e domingo) a peça será encenada no auditório do campus III da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul de Corumbá, na Antiga Alfândega. As apresentações acontecem às 20 horas. Em Dourados o espetáculo será apresentado dia 6 de dezembro (terça) na “Caixa Preta”, no campus da Universidade Federal da Grande Dourados, também a partir das 20 horas. A viagem chega ao seu destino final na quarta-feira (7 de dezembro), em Paranaíba, às 20 horas no Armazém João Simão.

A peça – Com texto, música e atuação de Leandro Faria e Philipe Faria e operação de luz e som de Thiego Pacheco, “Subcutâneo” relata um período pós golpe de Estado, com um governo intolerante às diferenças culturais. Dois amigos lutam para sobreviver morando em um prédio abandonado, se disfarçando e se arriscando nas ruas buscando água e comida. Depois de uma agressão física sofrida por um deles, refletem sobre sua situação e sobre a incerteza de futuro.

O espetáculo apresenta uma realidade extremista do futuro, onde o Estado deixa de ser laico e as minorias são exterminadas. Dois personagens vivem em um espaço claustrofóbico e tudo o que têm é a companhia do outro. A trilha sonora complementa a dramaturgia, ilustrando o controle exercido pelo governo sobre a população e as variações de humor desses personagens frente às decisões que precisam tomar.

Circuito – Com encenações em 48 municípios do Estado, a temporada 2016 começou no dia 17 de agosto. Estão previstas apresentações em teatros, espaços alternativos, ruas e praças do interior. “O Circuito possibilitou uma melhor visualização do que é produzido no Estado, já que muitas peças não são vistas no interior por falta de espaços. O projeto aproxima o espetáculo da platéia”, explica o coordenador do Núcleo de Teatro da Fundação de Cultura, Márcio Veiga.

A Fundação de Cultura selecionou 10 espetáculos teatrais: Os Guardiões, do Teatral grupo de Risco; Cheiro de Chuva, do Núcleo Cena Viva (Dourados); Quem matou o morto?, da Cia Theastai (Dourados); Subcutâneo, do Teatro de Dois; Os malefícios do tabaco, do Grupo Identidade Teatral; Tekoha – Ritual de Vida e Morte do Deus Pequeno, do Teatro Imaginário Maracangalha; Os Corcundas, do Circo do Mato Grupo de Artes Cênicas; Cadê?, do Instituto de Educação, Desenvolvimento Humano e Institucional; Tradicional Pocket Show, do Circo Le Chapeau; E o meu cabelo arrepiou, da Cia. Maria Mole, de Corumbá.

Veja também