GOV AGEMS
Menu
quarta, 08 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
aguas 07/12 a 11/12
Interior

Vereadores presos recebiam 'mensalinho' e serão transferidos para Campo Grande

Prefeito, secretário e mais sete vereadores deverão prestar esclarecimentos na Capital

26 novembro 2018 - 08h36Por Rodson Willyams

Pelo menos sete vereadores da Câmara Municipal de Ladário foram presos na manhã desta segunda-feira (26), durante operação realizada pelo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Além dos parlamentares, o prefeito Carlos Anibal Ruso Pedroso e o secretário de Administração/Educação Helder Naulle Paes dos Santos Botelho estão entre os presos. 

Segundo o site Peróla News, os vereadores presos foram: Paulo Rogério Feliciano Barbosa (PMN); Osvalmir Nunes da Silva (Baguá) (PSDB); Agnaldo dos Santos Junior (Magrela) (PTB), Vagner Gonçalves (PPS) atual 2° secretário da Mesa Diretora; Lilia Maria Villalva de Moraes Silva (Pastora Lilia) (MDB), e atual 2ª vice-presidente da Câmara; André Franco Caffaro (Dedé) (PPS) e Augusto de Campos (Gugu) (MDB).

Conforme a publicação ladarense, os envolvidos aguardam o exame de corpo de delito e possivelmente serão transferidos para Campo Grande, onde serão ouvidos e poderão se defender.

O caso 

Por determinação do Desembargador Emerson Cafure, da Seção Especial Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul, prefeito, secretário e vereadores foram afastados do cargo.

Conforme informação da Procuradoria-Geral de Justiça de MS, o afastamento do prefeito Carlos Anibal Ruso Pedrozo, do Secretário Municipal de Educação Helder Naulle Paes dos Santos Botelho e de mais sete vereadores decorrem de pedido formulado pelo Ministério Público.

Segundo o MPE, o afastamento estaria ligado a suposta prática dos crimes de associação criminosa, corrupção ativa e corrupção passiva, previstos no Código Penal, em razão da existência de elementos acerca de conluio entre o legislativo e executivo de Ladário, em esquema popularmente conhecido como “mensalinho”.

O Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) cumpre nove mandados de prisão preventiva e suspensão do exercício de mandatos eletivos e de cargo público no município de Ladário.