Menu
segunda, 19 de outubro de 2020
Hidrogel

Jovem morre em Ponta Porã após aplicação estética em clínica clandestina no Paraguai

Procedimento é polêmico e já causou outras mortes no Brasil

17 setembro 2020 - 20h31Por Thiago de Souza

Sheiza Ayala, 21 anos, morreu nesta quinta-feira (17), em Ponta Porã, vítima de hemorragia pulmonar, após procedimento em uma clínica de estética clandestina, em Pedro Juan Caballero. A vítima havia recebido o hidrogel, produto que já causou mortes de outras mulheres no País. 

Segundo o Ponta Porã News, a jovem fez a aplicação sem o conhecimento da família, no último sábado (12), e passado mal no domingo (13). Ainda segundo o site, Sheiza relatou o mal-estar para a responsável da clínica clandestina e teria sido aconselhada a descansar, já que aparentava uma crise de ansiedade. 

Sheiza deu entrada no Hospital Regional de Ponta Porã e teria ficado internada com complicações graves nas funções pulmonares, morrendo na manhã desta quinta-feira.

As polícias do Paraguai e do Brasil vão investigar o caso. Nas redes sociais, amigos e familiares lamentaram a perda da jovem. 

Hidrogel

O hidrogel é um gel que tem em sua composição 98% de água e 2% de poliamida, usado para preencher e dar volume em regiões do corpo como bunda e coxas, além de linhas e rugas no rosto e no pescoço. 

O risco, segundo médico consultado pelo G1, é de o produto ser injetado perto de um vaso e comprimi-lo. Isso pode levar a uma isquemia, ou seja, a uma interrupção do fluxo de sangue, que pode ocasionar uma necrose da pele. Também há risco de o produto comprimir um nervo importante, provocando dores fortes.

Outro risco é que o produto seja equivocadamente injetado dentro de um vaso sanguíneo, o que pode levar a uma trombose e à necrose da pele no local. Pode também provocar uma embolia pulmonar ou até cerebral, e levar à morte. O paciente está sujeito ainda a ter hematomas, dores e alergia ao produto.

Mortes

Em 25 de outubro de 2014, uma moradora de Goiânia morreu após aplicar o hidrogel para aumentar a bunda. Ela tinha 39 anos e morreu um dia após a aplicação do produto. 

Em julho de 2015, um jovem de 18 anos morreu após fazer a aplicação do produto no pênis, na cidade de Franca, interior paulista. 

A modelo Andressa Urach passou pelo mesmo procedimento e teve infecções graves por todo o corpo, que quase lhe tiraram a vida. 

Leia Também

'Mucha plata': bolivianos são pegos com R$ 1,5 milhão na fronteira
Interior
'Mucha plata': bolivianos são pegos com R$ 1,5 milhão na fronteira
Jovem é presa ao entrar com dinamite em presídio no Paraguai
Geral
Jovem é presa ao entrar com dinamite em presídio no Paraguai
E o anel? Mulher assiste pornô gay e descobre marido sendo 'devorado' na tela
Geral
E o anel? Mulher assiste pornô gay e descobre marido sendo 'devorado' na tela
Já ouviu falar? Maconha borrifada em papel chegou a Mato Grosso do Sul
Cidades
Já ouviu falar? Maconha borrifada em papel chegou a Mato Grosso do Sul