Menu
segunda, 16 de maio de 2022 Campo Grande/MS
ASSEMBLEIA MAIO DE 2022
Polícia

MP abre inquérito para investigar diretor que assediou adolescente em escola

Caso foi divulgado pelo TopMídiaNews, após diretor de escola mandar mensagens abusivas para adolescente de 15 anos em Nova Andradina

13 maio 2022 - 11h41Por Rayani Santa Cruz

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul abriu inquérito civil para investigar denúncias de assédio sexual envolvendo um diretor de escola e uma adolescente de 15 anos, em Nova Andradina, cidade do interior localizada a 297 km de Campo Grande. 

O processo foi instaurado através da 1ª Promotoria de Justiça de Nova Andradina, nessa quinta-feira (12), e vai apurar eventual violação de princípios administrativos, relacionados a assédio sexual de alunas da Escola Municipal Efantina de Quadros.

A divulgação do caso foi realizada pelo TopMídiaNews (clique aqui para ver), após a mãe de uma aluna, de 15 anos, denunciar que o diretor da escola, Marcos Eduardo Carneiro, estaria enviando mensagens via aplicativo que configuram assédio sexual. O caso chegou até o conhecimento da DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher).

Diante da denúncia, o Promotor de Justiça Paulo Henrique Mendonça de Freitas, que está à frente das investigações, considera que constitui ato de improbidade administrativa todo aquele que atente contra os princípios da administração pública, violando os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade e lealdade das instituições públicas.

Segundo o Promotor de Justiça, o procedimento está sob sigilo, tendo em vista a necessidade de proteção da intimidade e da imagem das possíveis vítimas da conduta do investigado, especialmente por envolver menores de 18 anos.

O caso

A mãe de uma aluna, de 15 anos, da rede pública de ensino de Nova Andradina, denunciou um caso de assédio sexual contra sua filha cometida pelo diretor da Escola Municipal Efantina de Quadros, Marcos Eduardo Carneiro. O caso chegou até o conhecimento da DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher).

A mulher, 37 anos, esteve na quarta-feira (11) na delegacia registrando um boletim de ocorrência e entregando prints que seriam prova da importunação sexual cometida pelo educador contra sua filha, menor de idade.

De acordo com o site Jornal da Nova, uma das mensagens mostra o diretor dizendo que a aluna "é uma delicinha". A mãe tomou conhecimento das conversas após ser alertada sobre a divulgação nas redes sociais e ficou chocada com o teor das conversas de cunho sexual praticados pelo educador.

"Minha filha estudou nesta escola desde pequena, a gente confia nos professores e quem trabalha na instituição e agora ele se aproveitando da condição de diretor para ficar galanteando menores", disse a mulher, bastante indignada para a site do interior.

Em uma das mensagens divulgadas, o diretor afirma que sente vontade de morder a boca da aluna. "Eu fico olhando a sua foto. Você tem uma boca maravilhosa. Sem maldade, mas dá uma vontade de dar uma mordidinha".

A adolescente critica a mensagem do diretor e evitar ceder novos espaços. O diretor, então volta a elogiar a menina, mas ela apenas agradece e a conversa é encerrada.

Outras mensagens apontam que o educador marcou um possível encontro com a jovem em um sindicato, dizendo que estava calor e que iria para lá como forma de se refrescar. Em outras ocasiões, Marcos sempre elogiava a garota e ainda a convida para sair. "Precisamos marcar alguma coisa juntos, quando você quiser e puder. É só me avisar. Inclusive hoje", mensagem encaminhada no dia 23 de abril.

As mensagens, segundo o Jornal da Nova, teriam começado em janeiro deste ano e prosseguido até essa semana, quando a adolescente decidiu por um basta nos "avanços" do diretor. "Diretor, posso te falar uma coisa. Eu fui pegando simpatia com o senhor só para ver até onde você ia com seu caráter. Na moral, mesmo quando eu estudava aí eu te admirava, mas depois que sai sua máscara caiu".

Fotos foram divulgadas na internet e a aluna ainda alertou. "Cuidado hem, que o povo tá repassando o print que o senhor comentou no meu status, meu respeito por você acabou", pontuou. O diretor, sabendo do fato, tenta se desculpar. "Me desculpe. Eu sei que errei com o meu comentário. Foi um comentário muito infeliz".

A mãe da adolescente declarou que pretende seguir até o fim com o caso. "Não admito isso com minha filha e todas as mães que descobrirem se suas filhas ou filhos sofreram algum tipo de abuso, denuncie na Delegacia, essas coisas não podem ficar impunes".

Afastamento

A Semec (Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Cultura) de Nova Andradina informou por meio de nota abriu um procedimento administrativo disciplinar contra o diretor e que ele foi afastado de suas funções por conta da denúncia.

A delegada da DAM, Daniella Nunes afirmou para o site que investiga a denúncia. Para o site, ela disse que a vítima recebia várias mensagens em suas redes sociais e que não pode comentar sobre o assunto por envolver uma menor de idade.