Menu
sábado, 23 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
Polícia

Assassino de Maiana e filha de um mês é indiciado por duplo feminicídio

Maiana estava dormindo sob efeitos de medicamentos quando foi morta

12 dezembro 2018 - 13h26Por Da redação, com Dourados News

Foi concluído o inquérito de investigação da estudante Maiana Barbosa de Oliveira, de 20 anos, e da filha recém-nascida. Para a polícia, Marcos Fioravanti Neto, 22, acusado de assassinar a jovem e a filha, cometeu o crime de duplo feminicídio duplamente qualificado com agravante pela morte da bebê de apenas um mês.

O fato aconteceu na madrugada do dia 26 de novembro. Maiana Barbosa, 20, e a filha Dandara, 1 mês, foram mortas a facadas pelo próprio namorado da jovem e pai da menina. Os corpos foram encontrados pela manhã por familiares do rapaz.

A jovem era natural de Rio Brilhante e teria vindo à Dourados para estudar. Ela cursava o 1º ano do curso de História na UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados).

A delegada responsável pelo caso Paula Ribeiro da DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher), identificou que Maiana não reagiu a nenhuma das agressões que resultaram em sua morte. 

A suspeita é de que a jovem estava dormindo e ainda sob efeito de medicamentos, levando em consideração que, apesar da violência aplicada a ela e à filha, nenhum indício de resistência ao crime foi identificado pelos peritos. 

Marcos, que segundo a família sofre de dependência de drogas e esquizofrenia, fugiu na data do crime e foi preso no mesmo dia, no município de Glória de Dourados, após cometer crimes de furtos e roubos.  Após o crime, a família do rapaz passou a sofrer retaliações por conta da condenação social. Ele está preso em uma das celas da PED (Penitenciária Estadual de Dourados).

O caso 

Maiana Barbosa de Oliveira, 20 anos, foi assassinada na manhã desta segunda-feira (26), em Dourados, cidade distante a 221 quilômetros de Campo Grande. A filha, de apenas um mês de vida, também foi morta. 

Conforme informações do site Dourados News, mãe e filha foram encontradas mortas em uma casa na rua Humaitá, no Jardim Água Boa.

A principal suspeita é de que o crime tenha sido cometido pelo marido da mulher e pai da bebê. Ele está foragido.

Ainda não há informações de como as vítimas foram mortas.