GOV AGEMS
Menu
quarta, 08 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
TRE
Polícia

Capital registra onda de crimes e número de homicídios em 2018 já passa de 70

Somente entre a noite do dia 17 e a madrugada do dia 18 de outubro, quatro pessoas foram mortas em Campo Grande

05 novembro 2018 - 19h00Por Kerolyn Araújo

Campo Grande vive uma onde de homicídios nos últimos dias. Entre a metade do mês de outubro e a primeira semana de novembro, pelo menos 10 pessoas foram brutalmente assassinadas na cidade. Somente em uma noite, quatro pessoas perderam as vidas vítimas de homicídios.

Conforme informações da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), do dia 1° de janeiro de 2018 ao dia 4 de novembro, 77 pessoas foram assassinadas em Campo Grande, o que da uma média de aproximadamente sete mortes por mês. Em todo Mato Grosso do Sul o número chega a 378.

Ainda conforme dados da Sejusp, o número de mortes no mesmo período do ano passado foi maior. Na Capital 94 pessoas foram assassinadas de janeiro a novembro. No Estado foram contabilizadas 440 mortes.

Balanço

A onda de assassinatos nas últimas semanas em Campo Grande começou entre a noite do dia 17 e a madrugada do dia 18 de outubro. 

A primeira morte registrada foi de Claudinei Seixas, 26 anos, assassinado com quatro tiros no bairro Coronel Antonino. O crime ocorreu por volta das 22h no dia 17 de outubro. 

Três horas depois, um homem matou com tiros à queima roupa o empresário Marcel Hernandes Colombo, 30 anos, conhecido como 'Playboy da Mansão'. O assassinato ocorreu em um bar na Avenida Fernando Corrêa da Costa.

 

(Marcel Colombo foi morto com tiros à queima roupa. Foto: Reprodução)

Duas horas após o assassinato de Marcel, um rapaz foi morto com três tiros no bairro Estrela do Sul. No final da madrugada, um homem de 40 anos foi assassinado com uma facada no abdômen no Maria Aparecida Pedrossian.

Já no dia 26 de outubro, um crime típico da fronteira assustou os campo-grandenses. Orlando da Silva Fernandes, 41 anos, foi executado a tiros de fuzil na rua Amazonas, na Vila Gomes. Conhecido como 'Bomba', Orlando foi segurança no narcotraficante Jorge Rafaat.

O mês de novembro também começou sanguento na Capital. Entre a noite do dia 4 e a manhã do dia 5, três pessoas foram mortas. 

(Quatro mortes foram registradas entre a noite do dia 17 e madrugada do dia 18. Fotos: Anna Gomes)

Na noite do dia 4, Luiz Roberto Pereira dos Santos, 26 anos, foi encontrado morto com amarrado e amordaçado no apartamento onde morava, no Jardim Tijuca. Na mesma noite, Daniele Alencar Viegas, 29 anos, foi morta esfaqueada após uma briga em um bar no bairro Vila Nova Capital.

Na manhã de segunda-feira (5), Dailo Souza Santos, 36 anos, foi morto com um tiro no peito na rua Vasconcelos Fernandes, no centro de Campo Grande.