Menu
quarta, 30 de setembro de 2020
Polícia

CONFUSÃO DA BRAVA: grupo em tabacaria agride PMs e tenta tombar viatura na Bandeirantes

Suspeitos disseram que policiais à paisana é que teriam agredido um dos rapazes

13 abril 2019 - 12h34Por Thiago de Souza

Equipe de policiais militares em uma viatura descaracterizada foi alvo de agressões por parte de pelo menos seis pessoas, na madrugada deste sábado (13), na Avenida Bandeirantes, próximo a uma tabacaria no bairro Amambaí, em Campo Grande. O grupo tentou tombar o carro da PM.

Conforme boletim de ocorrência, a PM havia recebido informação de que um carro de aplicativo teria deixado um passageiro armado no local. No entanto, não encontrou o suspeito e decidiu ir embora.

Porém, segundo os militares, quando a soldado Villa retornava para a viatura, suspeitos cercaram a equipe e tentaram virar o carro. Na versão da PM, o grupo gritava:

''Vamos quebrar eles, tira ela dai de dentro, vocês não tem mandado, filhas da pu#$$''.

Ainda segundo o registro, os suspeitos impediram o sargento Selasco de descer do carro, mesmo informando que seria policial e identificado com uma jaqueta da corporação. Um dos rapazes teria pego o rádio comunicador da viatura, mas outra equipe da PM surgiu e ajudou os colegas.

Outro suspeito, chamado Rodrigo, que estava de muletas foi algemado e preso também por agredir um cabo. Nesse instante, uma mulher chamada Maryelle bateu na soldado Villa, atingido braço, rosto e rasgando a blusa dela. Ela também acabou detida.

Conforme o documento, a PM informou que só depois de prender os suspeitos, soube que antes teria ocorrido uma briga generalizada envolvendo um rapaz chamado Kenedi Borba Gomes dos Santos, que foi atendido pelo Corpo de Bombeiros em razão de agressões sofridas.

Durante a confusão, o celular de um sargento, um Galaxy desapareceu.

Outra versão

Na delegacia, três mulheres, que se conheceram no local, contaram versão diferente da polícia. O trio disse que houve uma briga, onde Kenedi Borba teria sido agredido e ficou jogado na rua, sendo que a namorada dele, Marielle Verão, teria visto quem o agrediu.

Marielle e outras mulheres estavam pedindo socorro, quando um grupo de homens parou um carro branco e a colocou para dentro, argumentando que era para ela não ser agredida. No entanto, testemunhas já havia dito que ela não estava apanhando.

Na sequência, um rapaz chamado Rodrigo Otavio Ribeiro se aproximou dos homens do carro branco e foi empurrado e depois agredido. Eles teriam se identificado como policiais e teriam dado um tiro para cima. Nesse instante, uma viatura da PM chegou ao local e mesmo assim Rodrigo continuou apanhando e foi preso.  

Marielle tentou conversar com uma das policiais, que não lhe ouviu e ainda teria lhe ofendido. Ela acabou sendo detida e foi obrigada a entrar na viatura.  

* matéria alterada às 13h10 de 14/04 para supressão de informações.

 

Leia Também

COMEÇOU A GUERRA: PP pede impugnação de Harfouche
Política
COMEÇOU A GUERRA: PP pede impugnação de Harfouche
Enfermeiro se comove ao ver cão lutar para ficar com dono internado em Anastácio
Interior
Enfermeiro se comove ao ver cão lutar para ficar com dono internado em Anastácio
Gravíssimo: Brasil tem 1.031 mortes por covid em 24 horas, com total de 143 mil
Geral
Gravíssimo: Brasil tem 1.031 mortes por covid em 24 horas, com total de 143 mil
Vídeo: após ter mandato cassado, ex-prefeito é escorraçado em MS
Política
Vídeo: após ter mandato cassado, ex-prefeito é escorraçado em MS