TJMS - novembro
Menu
Busca segunda, 18 de novembro de 2019
Polícia

Delegado e policial presos suspeito de matar boliviano em ambulância são transferidos para a Capital

Alfredo foi morto na frente de sua filha, uma irmã, do motorista da ambulância e de um médico plantonista

29 março 2019 - 13h36Por Redação/Diário Corumbaense

O delegado da Polícia Civil, Fernando Araújo da Cruz Junior, titular da DAIJI (Delegacia de Atendimento à Infância, Juventude e do Idoso), e o policial civil Emmanuel Contis foram transferidos para Campo Grande.

Eles tiveram a prisão decretada pela Justiça a pedido da Corregedoria da Polícia Civil, que realizou operação em conjunto com a Delegacia de Homicídios e o Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros) na manhã desta sexta-feira, 29 de março, em Corumbá.

A prisão temporária dos dois servidores públicos da Polícia Civil é por envolvimento na morte do boliviano Alfredo Rangel Weber, 48 anos, na noite do dia 23 de fevereiro. O estrangeiro foi morto a tiros dentro de uma ambulância, na rodovia Ramão Gomes, que vinha da cidade fronteiriça de Puerto Suárez para o Hospital de Corumbá.

O delegado Fernando Araújo é o principal suspeito do crime. Já o investigador Emmanuel, foi detido por supostamente dar suporte ao delegado.

Alfredo foi morto na frente de sua filha, uma irmã, do motorista da ambulância e de um médico plantonista que o acompanhava.

Naquela noite de 23 de fevereiro, a vítima participava de uma festa em uma propriedade rural de Puerto Suárez, quando foi esfaqueada também pelo delegado, que teria ido atrás da ambulância em uma caminhonete, interceptado a viatura e cometido o crime.

O motorista da ambulância teria retornado rapidamente para o território boliviano com o corpo de Alfredo Rangel e os outros ocupantes.

A mulher presa durante a operação, esposa do delegado Fernando, permaneceu na Delegacia Regional de Corumbá, onde foi ouvida e logo em seguida seria liberada. Ela foi detida por desacato.