TCE MAIO
TJMS MAIO
Menu
segunda, 23 de maio de 2022 Campo Grande/MS
CÂMARA MUNICIPAL MAIO 2/3 ANO
Polícia

Estuprador de 12 mulheres se dá mal, é pego nas redes sociais e vai pro corretivo

Agepen diz que pena pode ser aumentada por conta da falta considerada 'grave'

02 outubro 2018 - 11h34Por Thiago de Souza

Rafael de Sousa Leite, 26 anos, preso em janeiro de 2017 acusado de 12 estupros, foi colocado em cela disciplinar, após ser flagrado fazendo postagens no Facebook, de dentro do presídio, em Campo Grande. Entre diversos assuntos, o criminoso conversava com muitas mulheres e o tinha o nome de ''Fael Lima''.
 
De acordo com a Agência de Administração Penitenciária de Mato Grosso do Sul, Agepen, o celular do detento foi apreendido pelos agentes penitenciários. Ele irá responder a um Procedimento Administrativo Disciplinar pela falta considerada ''grave''.
 
A audácia do presidiário foi tão grande que ele não fez questão de esconder nenhuma das várias fotos que possui. Outras pessoas interagiam com ele e o tom das conversas denota que muitos sabiam da situação prisional dele.

''Oi amigão estamos orando por você ! Quem sou eu pra te julgar. Só Jesus que pode te julgar. Garanto que já conversou com ele, Não? Que Jesus te abençoe!'', escreveu um internauta assim que Fael publicou uma foto.

Fael postou sua passagem por uma rádio da Capital. (Foto: Reprodução Facebook)

A última postagem do criminoso dentro da cadeia ocorreu nessa quinta-feira (27). Nas publicações, em muitas fotos, ele apresenta o filho ainda bebê, que por conta da prisão, é criado pela mãe de Rafael. Também há outras imagens em seu antigo trabalho, com outros familiares e até tocando violão em uma rádio da cidade. 

O detento, que de acordo com a Justiça, possui o vírus HIV e pode ter contaminado as vítimas, também comentava sobre músicas e publicava mensagens de fé e autoestima.
 
''Que nosso dia seja cheio de paz, graça e amor ao próximo. Que vocês possam ser vocês mesmos e não procurar ser alguém, só pra ser reconhecido...'', publicou o encarcerado.
 
Na rede social, Fael acumulava 918 amigos, sendo cerca de 90% mulheres. Várias delas faziam elogios ao detento e mensagens como ''Oi gato''. Depois que a informação de que Fael estava preso, alguns usuários do Facebook fizeram postagens aos demais para alertar que ele teclava de dentro do presídio.

Ainda de acordo com a Agepen, a pena do detento pode ser aumentada devido a essa ocorrência.

                              Fael na ocasião em que foi preso por estupro. (Foto: Kerolyn Araújo)

Perigoso

Os crimes atribuídos a Rafael Souza Leite começaram a ser descobertos em 2015. Conforme divulgado pela Delegacia de Atendimento à Mulher, Deam, o autor agia com agressividade, abordando as vítimas em pontos de ônibus e em casa.

Fael inicialmente atacava mulheres de 18 a 29 anos de idade no Jardim Los Angeles, região sul de Campo Grande. Depois os crimes se estenderam para o residencial Ramez Tebet e Portal Caiobá e Aero Rancho. Esse fato chamou a atenção da polícia, já que os crimes cometidos por ele ocorriam sempre nos bairros para onde a ex-mulher dele se mudava.

À época da prisão, pelo menos cinco mulheres haviam reconhecido o criminoso. Ele nega todos os crimes. Fael também responde por furto e ameaça.