TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
quinta, 30 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
Polícia

Ex-guarda condenado por morte de delegado é exonerado pela prefeitura

Ele também teve a aposentadoria por invalidez anulada; José fazia parte de organização criminosa em Campo Grande

28 maio 2020 - 12h30Por Rayani Santa Cruz

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) exonerou e tirou a aposentadoria do ex-guarda municipal José Moreira Freire, condenado pelo assassinato do delegado aposentado Paulo Magalhães Araújo, em 25 de junho de 2013.

A demissão foi publicada no Diário Oficial de Campo Grande, desta quinta-feira (28). O prefeito também anulou a aposentadoria dele por invalidez. 

José  passou pelo Tribunal do Júri em 15 de agosto de 2018, onde negou o crime e inicialmente foi condenado a 18 anos de prisão. À época, ele afirmou que passava por dificuldades financeiras e chorou muito diante do juiz. Porém, o réu não denunciou os mandantes da execução.

O guarda consegui redução da pena para 15 anos em 2019, e estava fora da cadeia, pois cumpria pena em liberdade com uso de tornozeleira.

O crime voltou a ser investigado após a operação Omertà, que teve como resultado as prisões dos empresários Jamil Name e Jamil Name Filho, que segundo investigações podem ser os mandantes.

O crime

O delegado aposentado Paulo Magalhães Araújo foi morto aos  57 anos, perto da escola onde a filha estudava. Ele estava dentro de um carro quando foi abordado por uma dupla em uma motocicleta. 

José Moreira Freires, que estava na garupa, teria atirado diversas vezes com uma pistola. O piloto da moto foi identificado como Rafael Leonardo Santos. O terceiro acusado é Antonino Benites Cristaldo, que atuou dando cobertura.

Após executar o delegado, Rafael foi assassinado como queima de arquivo. O corpo dele foi encontrado no lixão de Campo Grande sem cabeça e carbonizado.