Menu
sexta, 18 de setembro de 2020
Polícia

Família ainda espera liberação do corpo de Jheniffer; 'tinha um sorriso lindo', diz pai

Jovem foi morta pelo namorado em Sidrolândia

06 abril 2019 - 13h52Por Rodson Willyams

O corpo de Jheniffer Cáceres de Oliveira, 17 anos, segue no Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) de Campo Grande. A família, que reside em Dois irmãos do Buriti, distante 110 km da Capital, segue aguardando a liberação. Falta apenas um exame para que o sepultamento possa ocorrer. A adolescente foi morta pelo namorado no último sábado (30), em Sidrolândia.

Ainda abalado, Rosalino de Oliveira Ramos, 39 anos, lembra da filha com muito carinho. "Era uma menina meiga, simpática e muito estudiosa. Não tirava nota abaixo de oito ou nove. Tinha um sorriso muito lindo", relata.

Eele ainda toca no assunto que deixou a família muito ferida. "Andaram dizendo por aí, que ela era abandonada e que não tinha família, mas isto não é verdade. Ela foi criada por mim e pela minha esposa desde os dois anos de idade", conta.

E diz que a família ficou chocada com a notícia da morte. "A minha esposa foi parar no hospital quando foi informada sobre o que havia acontecido com ela. Eu, estava trabalhando em uma fazenda onde não pegava o sinal de celular, às 17 horas, quando fui para uma parte mais alta, é que eu fui ver o que tinha acontecido e imediatamente fui à sede da fazenda e depois de lá fui para Sidrolândia e Imol de Campo Grande. Então, não é verdade isso que falaram não tinha ninguém por ela".

Gênio forte

Rosalino conta que a menina tinha um gênio muito forte. "Ela tinha uma personalidade muito forte. Na adolescência, com 13 anos, ela ficou rebelde, não teve como a gente segurá-la. Ela quis viver para o mundo. Fugiu de casa e foi viver do jeito que ela queria. Depois ela voltou e, do nada, dava uma doideira na cabeça dela e ela saia de novo".

Há quatro meses a jovem estava morando com atual namorado em Sidrolândia. "Não tinha falado com ela pessoalmente, só pelo telefone e pelo WhatsApp. Ela tinha mudado para lá porque a família do rapaz era toda de lá. Mas morava perto de um parente nosso. Ela sempre ia lá tomar tereré. Chamava ele de tio".

Leia Também

Economia
Preço do algodão sobe no campo e roupas podem ficar mais caras
Apesar da alta, o setor industrial descarta alta expressiva ao consumidor e desabastecimento
Motoentregador é rendido por bandidos armados no Centenário
Polícia
Motoentregador é rendido por bandidos armados no Centenário
Eterna Juma Marruá chora ao falar de queimadas e animais mortos no Pantanal
Geral
Eterna Juma Marruá chora ao falar de queimadas e animais mortos no Pantanal
Bruno fica irritado com parceiro e manda Marrone se F em live; veja o vídeo
Geral
Bruno fica irritado com parceiro e manda Marrone se F em live; veja o vídeo