TCE MAIO
TJMS MAIO
Menu
segunda, 23 de maio de 2022 Campo Grande/MS
TOP MIDIA INSTITUCIONAL SUPER BANNER
Polícia

Fronteira em chamas: 200 mortes violentas em oito meses em MS

Dados da Sejusp são de janeiro a agosto deste ano e incluem a divisa com a Bolívia

20 setembro 2018 - 07h00Por Thiago de Souza

De janeiro a agosto deste ano, 192 pessoas perderam a vida em crimes violentos como latrocínio (que é matar para roubar) e homicídios, informa a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública. No entanto, há casos não esclarecidos ainda, como o desaparecimento de dois jovens em Ponta Porã, depois de serem abordados por agentes do Departamento de Operações de Fronteira.

Para o crime de homicídio doloso, foram 187 vítimas nos municípios localizados na faixa de fronteira. O número é maior do que o registrado no mesmo período de 2017, que ficou em 181 vítimas.
 
Os números para o latrocínio, que é matar para roubar, também sugerem atenção por parte do poder público. Em 2017, 10 mortes nos oito primeiros meses. De janeiro a agosto deste ano, são cinco casos.

Trânsito

A Sejusp traz ainda números relativos à mortes no trânsito na fronteira. De janeiro a agosto de 2017, houve 81 casos contra os atuais 73. 

Crime organizado

A maior parte dos crimes noticiados pelo TopMídiaNews está relacionada com o tráfico de drogas.   Policiais que atuam como pistoleiros e disputas políticas também fazem vítimas dia a dia. Os dados são referentes a crimes que ocorrem no lado brasileiro, por isso crimes envolvendo brasileiros no lado paraguaio não são contabilizados.

Crimes

Em 6 de março deste ano, o policial civil Wescley Dias Vasconcelos, 37 anos, foi assassinado a tiros, na frente da casa onde morava, em Ponta Porã. Ele foi atingido por pelo menos 30 tiros de fuzil AK 47 munição 7.62, dentro do carro.

O crime, segundo as autoridades, foi em resposta a atuação do agente contra facção criminosa que atuava na fronteira.

No dia 19 de agosto, Sérgio Cristaldo, 21 anos, foi morto com um tiro na cabeça, na região central de Bela Vista. Ele estava com a namorada no momento do crime,  quando dois suspeitos em uma moto o abordaram. O único tiro foi disparado pelo garupa. Nenhum suspeito foi preso.

O prefeito de Paranhos, Dirceu Bettoni (PSDB), foi alvo de um atentado a tiros, na noite do dia 14 de junho, enquanto chegava em casa. O suspeito abriu a porta da caminhonete dele e atirou com dois revólveres, um calibre 32 e outro 38. O político foi atingido por quatro disparos e passou semanas internado.

Os executores do crime foram presos. O mentor do assassinato é investigado pela polícia.

Estudante

Erika de Lima Corte, 29 anos, estudante de medicina foi assassinada com 19 facadas na quitinete onde morava com uma amiga em Ponta Porã. A jovem era moradora de Barra do Garças (MT) e, segundo a polícia, teria sido torturada e estuprada antes de morrer.

O suspeito, Cristopher Irala, 27 anos, foi preso no Paraguai e pode ter executado outra estudante na região. Até o momento, a motivação do crime não foi esclarecida.

Irmãos desapareceram após abordagem do DOF na fronteira. (Foto: Reprodução Ponta Porã Informa)

Sem solução

Os irmãos Rodney Campos dos Santos, 27 anos, e Edinei Bruno Ortiz Amorim, 20 anos estão desaparecidos desde o dia 12 de agosto de 2017. A última aparição deles foi durante uma abordagem de policiais do DOF, registrada por imagens de câmeras de segurança de um posto de gasolina em Ponta Porã. 

Os agentes abordaram a dupla, que estava em um Gol preto, revistaram e colocaram no camburão. Porém, os militares alegam que instantes depois liberaram os irmãos.

O carro foi encontrado no mesmo dia abandonado do lado paraguaio com o boné e os tênis de Rodney no banco traseiro. Os irmãos nunca mais foram vistos.

Um inquérito policial militar foi aberto, concluído e encaminhado para a Justiça Militar. Investigação na Polícia Civil é comandada pelo delegado Márcio Obara, da Delegacia de Homicídios em Campo Grande. Obara diz que não há novidades no caso.