TJMS AGOSTO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sexta, 12 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
SENAI SUPER BANNER JULHO E AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
Polícia

Homem é preso após invadir escola com facão e simulacro de arma de fogo em MS (vídeo)

Alunos e professores ficaram assustados com a ação do homem

28 junho 2022 - 22h01Por Elizeu Ribeiro

Um homem de 66 anos, foi preso na tarde desta terça-feira (28), após invadir a Escola Municipal Nelson Mangabeira, localizado no bairro Alta Floresta, em Ladário, a  428 quilômetros de Campo Grande, armado com um facão e um simulacro de arma de fogo. Alunos e professores ficaram assustados ao ver o homem portando as armas.

Imagens de segurança flagraram o momento em que o homem anda tranquilamente pelo corredor da escola, no meio de outras pessoas, segurando um objeto que parece ser um facão e o simulacro.

Segundo o site Diário Corumbaense, no vídeo, uma mulher pede para que os alunos entrem para a sala de aula: “ei, vai para a outra sala lá, entra, entra, entra...”, diz a mulher. O invasor teria dito que "mataria todos os alunos" e que voltaria. Felizmente, ninguém se feriu.

A Polícia Militar foi chamada e encaminhou o homem para a Delegacia de Polícia Civil de Ladário. "Ele foi detido, levado à delegacia, qualificado, ouvido e posteriormente liberado. O facão e o simulacro foram apreendidos e serão periciados”, informou o delegado titular, Luca Venditto Basso. 

Ainda de acordo com ele, o homem relatou que invadiu o estabelecimento de ensino porque, “crianças da escola teriam jogado uma bola no quintal da casa dele, pedras no telhado e ainda o teriam xingado e que acabou perdendo a cabeça”.

Ainda conforme o site, a secretária municipal de Educação, Elizama Medina Reis, disse que o boletim de ocorrência foi registrado pela equipe gestora. "A Guarda Municipal fará reforço na segurança da unidade escolar e vamos acompanhar junto à Polícia, as medidas necessárias para esse caso".

O autor mora em frente a quadra de esportes da escola.

Reprodução / Diário Corumbaense