Menu
terça, 01 de dezembro de 2020
Polícia

Ladrões rendem funcionária de posto de combustível, roubam malotes e queimam carro

Até o momento a dupla não foi localizada

09 abril 2019 - 14h10Por Da redação/JP News

Dois ladrões armados renderam uma funcionária de um posto de combustível, na noite desta segunda-feira (8), e levaram certa quantia em dinheiro e cheques, que estavam distribuídos em malotes. O estabelecimento fica na rodovia Marechal Rondon, em Castilho (SP), logo após a ponte sobre o rio Paraná, na divisa de Mato Grosso do Sul e São Paulo.

A funcionária já estava dentro do automóvel quando foi abordada pelos assaltantes. De acordo com a Polícia Militar, o valor roubado não foi informado pelo proprietário do posto de combustível. A vítima nada sofreu e ficou no pátio do posto.

Após a ação criminosa, os suspeitos seguiram pela BR-158 em direção ao Distrito de Arapuá. Eles chegaram a ser abordados por uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e disseram que seguiam para uma fazenda. Diante das informações recebidas pela PRF, os policiais militares foram para a região informada.

Por meio de uma denúncia anônima, a PM soube de que havia um veículo em chamas em uma estrada vicinal, próximo a um assentamento. Foi constatado de que se tratava do veículo roubado. O caso foi encaminhado para a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) e a PM realiza buscas pelos ladrões.

Leia Também

Pai denuncia ex-namorada por queimar bebê de 1 ano com cigarro
Polícia
Pai denuncia ex-namorada por queimar bebê de 1 ano com cigarro
Homem trans dá à luz sua filha e comemora nas redes sociais
Algo mais
Homem trans dá à luz sua filha e comemora nas redes sociais
Ex-prefeito Geraldo Marques tem direitos políticos suspensos e terá que pagar R$ 329 mil
Interior
Ex-prefeito Geraldo Marques tem direitos políticos suspensos e terá que pagar R$ 329 mil
Deputada tenta barrar novo aumento na tarifa de energia elétrica: 'a pandemia não acabou'
Geral
Deputada tenta barrar novo aumento na tarifa de energia elétrica: 'a pandemia não acabou'