TCE ABRIL 16 A 22/04
Menu
segunda, 19 de abril de 2021
Polícia

Ex-guarda que matou ex e amigo dispensa interrogatório e continua preso

O acusado afirma que já prestou todos esclarecimentos sobre o crime

07 abril 2021 - 15h00Por Dany Nascimento

O ex-guarda municipal Valtenir Pereira da Silva, 35 anos, dispensou novo interrogatório e continua preso no Centro de Triagem Anísio Lima, em Campo Grande. Ele é acusado de matar a ex-namorada Maxelline da Silva dos Santos e o amigo dela, Steferson Batista de Souza, no dia 1° de março de 2020.

De acordo com o processo, a defesa fez contato por videoconferência com o acusado, que alega que não existem novas testemunhas para indicar e destaca que todos os esclarecimentos de sua parte sobre o crime já foram feitos.

As alegações do réu preso foram juntadas no dia 12 de março. Em um novo despacho, o juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida solicitou com urgência a juntada de um DVD, que possui conversas, troca de mensagens e ligações entre a vítima e o suspeito. 

O juiz solicita arquivos do dia 15 de fevereiro de 2020, quando medidas protetivas de urgência foram arbitradas, até o dia 6 de março de 2020, quando o acusado foi preso na Capital.

A defesa do acusado também juntou ao processo foto da vítima com o suspeito no dia 23 de fevereiro de 2020, durante um show. 

Foto juntada ao processo

 O caso

Maxelline estava em um churrasco com amigos e a filha em uma casa no bairro Jardim Noroeste. Durante a madrugada do domingo (1º), Valtenir foi até o local e a chamou para conversar. Os dois iniciaram uma discussão, quando o ex-guarda civil sacou a arma e atirou na cabeça da jovem.

A amiga de Maxelline viu o crime e correu para pedir ajuda. Ela também foi baleada, mas sobreviveu. O marido dela, o promotor de vendas Steferson também foi atingido pelos disparos e morreu.

De acordo com a Polícia Civil, Maxelline já havia deito um boletim de ocorrência no dia 17 de fevereiro de 2020, contra o ex-namorado. 

* Matéria alterada às 16h55 para correções