TJMS AGOSTO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sexta, 12 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
Dengue agosto
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
Polícia

Manifesto marca julgamento de assassino de Mayara Amaral em Campo Grande

Movimentos em defesa das mulheres, amigos, autoridades e familiares de Mayara pedem justiça na frente do Fórum da Capital

29 março 2019 - 09h04Por Dany Nascimento e Anna Gomes

Uma manifestação é realizada na frente do Fórum Heitor Medeiros da Comarca de Campo Grande, na manhã desta sexta-feira (29), por movimentos de mulheres, amigos e familiares da musicista Mayara Amara, morta a marteladas em um motel no dia 24 de julho de 2017.

O movimento pede justiça durante a realização do julgamento do baterista Luís Alberto Bastos Barbosa, suspeito de cometer o crime. A manifestação conta com faixas e cartazes, pedindo aumento de pena pelo crime de feminicídio. Autoridades como a deputada federal Rose Modesto (PSDB) e ex-vereadoras também aderiram ao protesto.

Representante do Movimento Mulheres Pela Democracia, Maria Albuquerque disse que conheceu Mayara três meses antes do crime e destaca que a vítima participava de movimentos voltados para a defesa das mulheres na sociedade.

Emocionada, a irmã de Mayara, Pauliane Amaral, disse que o julgamento deve representar todas as mulheres que foram vítimas de feminicídio. “Hoje é um dia emocionante, dia de justiça, que esse julgamento de hoje sirva para todas as mulheres que já foram assassinadas. De janeiro a março, nove mulheres foram vítimas de feminicídio em Mato Grosso do Sul. Fora outros crimes que não são caracterizados como feminicídio”.

A irmã da musicista afirma que a pena pelo crime de feminicídio, que prevê prisão de 12 a 30 anos, tem que aumentar. “O crime de latrocínio prevê mais anos do autor preso do que o feminicídio. Um objeto, às vezes, vale mais que uma vida. Tem que ter aumento de pena”, diz a irmã de Mayara.  

De acordo com o TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), Luís vai a júri popular também pelos crimes de furto, ocultação e destruição de cadáver, com emprego de fogo.