TCE 21 a 27/06/2021
Menu
sexta, 25 de junho de 2021
MEDIDAS RESTRITIVAS 19/06 a 27/06/2021
Polícia

Neto que matou avó de forma cruel é condenado a 13 anos de prisão

O rapaz morava com a idosa desde os 13 anos de idade

09 abril 2019 - 16h50Por Nathalia Pelzl

O ex-promotor de festas, Weikmam Agnaldo de Mattos Andrade da Silva, 23 anos, foi condenado a 13 anos e seis meses de prisão, em regime fechado pelo assassinato da avó Madelena Marina de Matos Silva, em 2016, na época com 59 anos. O crime bárbaro aconteceu no Jardim Itamaracá, em Campo Grande.

A pena foi fixada pelo juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, que condenou Weikmam por homicídio qualificado por motivo fútil, ocultação de cadáver e fraude processual, todos apontados pelo MPMS.

Durante o depoimento, o jovem alegou que teria ficado nervoso após ouvir xingamentos da avó. O jovem relatou que a vítima teria ficado irritada após ele ter consumido os créditos da idosa ao rotear a internet via celular.

Ao juiz, o rapaz afirmou que deu um 'mata-leão' na idosa, a asfixiando até a morte. Ele afirmou ainda que, durante a queda, a idosa teria batido e cabeça, o que teria causado traumatismo craniano.

No entanto, o Ministério Público Estadual contestou a versão, afirmando que o trauma só ocorreria se ela tivesse batido a cabeça por várias vezes contra o chão, ou batido uma única vez, de maneira forte.

O rapaz morava com a idosa desde os 13 anos de idade.