Menu
terça, 18 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Polícia

PM de folga evita roubo de caminhonete e troca tiros com bandido

17 dezembro 2015 - 08h15Por Dany Nascimento

Um policial de folga da Força Tática do 10º Batalhão, que preferiu não ser identificado, evitou o roubo de uma caminhonete por volta da meia-noite, em uma residência na Rua Bom Pastor no Jardim Vilas Boas em Campo Grande. O PM afirmou que voltava com a família de um passeio, quando avistou Leonardo de Oliveira Spolador, 34 anos, saindo de uma casa com um revólver calibre 38 nas mãos.

"Eu estava passando pela Bom Pastor quando vi ele com a arma na mão saindo da garagem de uma residência. Estacionei o meu carro, desci e disse a ele que era Policial Militar. No mesmo instante ele saiu correndo e comecei a correr atrás dele. Ele efetuou alguns disparos para trás e eu revidei. Após correr por uma quadra, ele disse que era policial federal e que tinha iniciado uma discussão com a esposa, justificando a saída da casa com a arma na mão. Ele tentou abordar uma menina de moto para fazer de refém, mas ela conseguiu fugir dele", explica o policial.

Como o policial militar não acreditou nas afirmações do bandido, a perseguição continuou, até que o mesmo foi rendido ao retornar correndo para a Rua Bom Pastor. "Eu disse para ele deitar no chão e conseguiu prende-lo. Ao acionar a PM, foi constatado que o mesmo era evadido da prisão de Dourados", diz o PM.

O dono da caminhonete relatou ao policial, que chegou na residência, abriu o portão para estacionar o veículo, quando o bandido entrou no quintal e rendeu a família. Leonardo pediu a chave da caminhonete, mas não conseguia dirigir o veículo por ser automático. Ao tentar sair da casa com a caminhonete, o dono do veículo tentou impedir com uma barra de ferro, momento em que o bandido deixou a casa correndo, se deparando com o policial do lado de fora.

A esposa do policial, que também optou por não se identificar e estava com o filho de um ano no veículo, afirmou ao TopMídiaNews que viveu um momento de pânico, já que um dia antes do ocorrido, sonhou que o marido tinha sido baleado. "Eu tinha sonhado que ele era baleado, tinha comentado isso com ele. Quando ele viu o homem saindo armado, queria descer do carro na hora, mas eu tentei segurar ele e pedia para ele não ir. Mas não teve acordo. Quando o bandido correu para trás do nosso carro, ele desceu do carro e foi atrás. Escutei o barulho de vários tiros e depois um silêncio. Me desesperei e tentei encontrar ele. Dentro de mim eu sentia que tudo tinha acabado mal, mas graças a Deus consegui encontrar ele com o bandido rendido".

Além disso, a esposa do PM destaca que ao tentar encontrar o marido, avistou um veículo Pálio branco com outros homens dentro, que seriam os apoiadores do bandido que rendeu a família. "Eu vi um carro com outros homens e percebi que seriam apoiadores do assaltante. Tentei me manter mais calma possível para que eles não percebessem e nem tentassem me abordar. Quando eles viram a abordagem, deram ré e foram embora. Eu tive muito medo de ser atingida, de que ele fosse atingido e de que meu filho também fosse atingido, porque ele estava dormindo dentro do carro. Foi um momento de terror", diz a esposa.

Conforme o policial, Leonardo que foi preso em flagrante,  responderá por tentativa de homicídio qualificado contra o policial, latrocínio de forma tentada contra a vítima, associação criminosa e evasão da prisão. O caso foi registrado na   Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário)  Piratininga.