(67) 99826-0686

Quadrilha mantém vítimas em cárcere fora de MS para atravessar caminhões na fronteira

Polícia alerta para mudança na tática criminosa, que também se utiliza da boa-fé de motoristas no transporte

22 MAI 2019
Amanda Amaral e Anna Gomes
15h43min
Delegada Aline Sinnott Lopes alerta sobre novas táticas Foto: Wesley Ortiz

Criminosos têm se especializado nos métodos de roubo de caminhões e sequestro de motoristas, para comercializar os veículos em países que fazem fronteira com Mato Grosso do Sul. Casos recentes identificados pela polícia mostram que os condutores sequestrados são deixados em cárceres privados em estados vizinhos.

Conforme a delegada-titular da Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos), Aline Sinnott Lopes, a ação visa despistar suspeita da polícia e de trabalhadores de frete que são depois procurados pela quadrilha para levar o veículo para o Paraguai. Isso porque, de início, não é informado o verdadeiro destino final. 

“Normalmente os motoristas ficavam encarcerados no estado mesmo, agora são levados para Mato Grosso ou São Paulo. Enquanto isso, os criminosos contratam outros motoristas, em sites de anúncio na internet, para levar o veículo para um lugar, e aí vão mudando a rota no meio do caminho até atravessar a fronteira”, sintetiza a delegada. 

Defurv investiga os crimes. (Foto: Wesley Ortiz)

Ela alerta que alguns sinais podem ajudar o motorista de ser ‘acionado’ para auxiliar no crime, sem saber. Mudanças de rota repentinas, frequentes ligações ou mensagens telefônicas, pedidos de localização a todo momento podem ser alguns dos sinais suficientes para o contratado acionar a polícia.

A polícia suspeita que as ordens para os crimes são feitas por líderes em outros estados. As vítimas sequestradas geralmente são liberadas assim que o serviço é concluído, mas podem permanecer por dias nas mãos da quadrilha.

Caso recente

Uma equipe da Força Tática do 10º Batalhão de Polícia Militar recuperou um caminhão Mercedes Benz, que havia sido roubado na noite de ontem (21), na cidade de Barueri, interior de São Paulo. De acordo com a Polícia Militar, os familiares da vítima que moram em Foz do Iguaçu, Paraná, e entraram em contato com os policiais, dizendo que o mesmo realizaria um frete para Corumbá, fronteira com a Bolívia. 

O veículo foi rastreado e encontrado por volta das 23h45, no pátio de um posto de combustível no bairro Moreninha II, em Campo Grande. No local, os policiais conversaram com o indivíduo que estava com o caminhão, que alegou ter sido contratado para buscar o veículo em Itapevi para levar até Corumbá. 

Diante disso, o motorista fez uma chamada de vídeo para o motorista, que demonstrou por meio de sinais que estava em cárcere privado.  O condutor foi encaminhado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga e confessou que se tratava de um assalto.

A vítima foi liberada pelos bandidos e a polícia não conseguiu ainda encontrar e prender os criminosos.

Veja também