TJMS - novembro
Menu
Busca segunda, 18 de novembro de 2019
Polícia

Suspeito de estuprar e matar menina de 10 anos é preso após ser achado ferido

Criança foi encontrada morta na manhã de hoje; a mãe da vítima e o suspeito tiveram um relacionamento amoroso, mas estavam separados porque ele era usuário de drogas

13 maio 2019 - 15h29Por Da redação/G1

A Polícia Militar prendeu o suspeito de estuprar e matar uma menina de 10 anos, na manhã desta segunda-feira (13), em Ribeirão Preto (SP). De acordo com a PM, Reginaldo Gomes foi achado com várias lesões e fraturas. Ele disse que sofreu uma queda na Avenida Independência, mas a polícia suspeita que ele tentado cometer suicídio ou sido alvo de linchamento.

Ele foi socorrido, passou por atendimento no Pronto-socorro Central e foi transferido para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), onde está escoltado.

Ainda segundo a PM, o suspeito já tem passagem pela polícia por homicídio. Em depoimento informal, o homem admitiu o homicídio, mas negou ter abusado da criança. Há um ano, ele estava separado da mãe da vítima, com quem tem uma filha de 5 anos e que estava na casa na hora do crime.

Morte

O corpo de Ayshila Vitória dos Santos da Costa foi encontrado na casa onde ela vivia com a mãe e a irmã, de 5 anos, no bairro Ipiranga, na Zona Norte da cidade. A vítima apresentava cortes profundos no pescoço e estava nua. A mãe contou à polícia que participou de uma festa com as filhas no domingo (12), em uma área de lazer. Renata Gomes disse que o avô das crianças as levou para casa, onde elas passariam a noite com uma amiga dela, e seguiu para o trabalho.

"Eu liguei por volta das 20h, está até registrado no telefone, e falei com a minha filha [Ayshila]. Eu não perguntei se a minha amiga estava. Eu perguntei está tudo bem aí, filha? 'Mãe, tá tudo bem aqui'. Foi isso que ela falou para mim."

Ao chegar à residência pela manhã, a mãe encontrou a criança morta no chão da sala. "Eu cheguei aqui, vi minha filha morta e eu fui atrás da outra. Eu pensei que ela também estava morta, mas ela estava no quarto, tinha acabado de acordar. Ela assustou com os meus gritos e eu perguntei quem entrou aqui. Ela falou o Reginaldo, que é o pai dela."

Segundo a mãe, ela e o suspeito tiveram um relacionamento amoroso, mas os dois estavam separados há um ano porque ele insistia em usar drogas. Renata negou que as filhas tinham o hábito de ficar sozinhas. Mãe e filhas moravam há cerca de um mês na casa. "Elas não ficavam sozinhas, eu tenho como provar. Elas ficavam com a minha irmã, com o meu sobrinho. As minhas vizinhas ficaram de me ajudar, se eu precisasse. Jamais ia deixar elas sozinhas."

Suspeito ferido na rua

Enquanto atendia a ocorrência da morte da criança, a PM recebeu um chamado sobre um homem que estava caído na Avenida Independência, na Zona Sul da cidade. O resgate foi encaminhado ao local e, após consulta de dados, a PM descobriu que o ferido era suspeito do assassinato da criança. De acordo com os policiais, o homem afirmou que não se lembrava da queda e apresentava várias lesões e fraturas.

De acordo com o sargento da PM Ricardo Aurélio Maschietto, Reginaldo Gomes contou que chegou à casa e encontrou o cadeado aberto. Ao entrar no imóvel, ele se deparou com a vítima acordada e os dois começaram a lutar.

"Em determinado momento, ele pegou a faca e desferiu três facadas na maior. Posteriormente, quando ele viu que matou a criança, ele tirou a roupa dela e enrolou em um tapete no intuito de dispensar o corpo. Foi por isso que ele falou que tirou a roupa da criança. As duas crianças estavam sozinhas", afirma. Ainda segundo Maschietto, o suspeito disse que tinha usado drogas e que desistiu de levar o corpo da enteada porque ouviu barulho de pessoas chegando à casa. À polícia, Gomes negou que tenha estuprado a menina.