Menu
sexta, 15 de janeiro de 2021
COVID 19 JANEIRO 11/01 A 15/01/2021
Polícia

Travestis espancam motorista de app e destroem carro no Santo Antônio

Motorista diz que foi assalto; uma das mulheres diz que foi assediada

25 novembro 2020 - 09h45Por Diana Christie

Gabi Rojas, 20 anos, Andressa Oliveira da Silva, 18 anos, e Nycolly Cardozo da Mata, 27 anos, foram presas suspeitas de assaltar um motorista de aplicativo e resistir à abordagem policial na madrugada desta terça-feira (24), em Campo Grande.

Segundo o boletim de ocorrência, a PM (Polícia Militar) foi acionada para atender pedido de socorro de um homem na Avenida Duque de Caxias, no bairro Santo Antônio. No local, a equipe encontrou a vítima com várias escoriações e um carro Ônix vermelho com vidros quebrados e lataria amassada.

Aos policiais, a vítima contou que aceitou uma corrida perto da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), onde embarcaram as três travestis. Segundo ele, as mulheres ficaram fazendo bagunça e, em determinado momento, pediram para aumentar o volume do som, o que foi negado. Na sequência, ele alega que foi enforcado com um golpe mata-leão.

A vítima relata que conseguiu descer do carro, mas as acusadas partiram pra cima dele e também destruíram o veículo, chegando a subir sobre o capô do Ônix. Só teriam parado quando testemunhas começaram a aparecer. Elas levaram celular, carteira e uma pochete de moedas da vítima.

Em rondas, a PM localizou as três travestis na região da Vila Eliane. Duas delas teriam resistido à prisão e chegaram a ameaçar queimar os policiais com álcool. Mesmo assim, elas foram encaminhadas para a delegacia e os objetos da vítima foram recuperados.

Na delegacia, os depoimentos mostram outra versão. Uma delas diz que é garota de programa, mas pagou a corrida e apenas queria ir para a casa. Segundo ela, o motorista a assediou, passando a mão em seus seios e ameaçando deixá-las fora do trajeto, quando a briga começou. A destruição do carro seria vingança.

Outra investigada disse que não participou das agressões e nem sabe o motivo da confusão. Já a terceira preferiu ficar em silêncio.