Menu
segunda, 28 de setembro de 2020
Política

Ação judicial tenta impedir celebração que marca 55 anos da instalação da Ditadura Militar

Defensoria Pública da União pede para a Justiça Federal impedir o ato e aplicar multa se decisão for desprezada

27 março 2019 - 14h52Por Celso Bejarano, de Brasília

A DPU (Defensoria Pública da União) moveu uma ação civil pública com pedido de tutela provisória de urgência contra a orientação do presidente Jair Bolsonaro, que mandou o Ministério da Defesa a promover como se fosse celebração o chamado Golpe 64, ano que os militares assumiram a presidência do Brasil e no comando ficaram por 21 anos, até 1985. Em Campo Grande, o Exército planeja comemorar a data na próxima sexta-feira (29).

Nesse período da Ditadura Militar, há históricos de assassinatos e sumiços de pessoas que ousavam e se manifestar contra o regime imposto.

“Em que pese ser de conhecimento público os horrores relacionados ao período ditatorial, é válido relembrar o que de fato ocorreu no Brasil, entre 1964 a 1985. Compulsando os relatórios da Comissão da Verdade do Brasil, entre maio de 2012 e dezembro de 2014, foram ouvidas as vítimas da ditadura, os familiares de pessoas que desapareceram e foram mortas no período, comitês de memória, entidades de direitos, entre outras organizações, a respeito das violações do regime militar aos direitos humanos”, diz o trecho logo no início da petição da DPU.

A Defensoria narra na ação que logo que instalada a Ditadura Militar, em 1º de Abril de 1964, cinco mil pessoas foram presas e muitas delas “sofreram brutalidades e torturas por parte dos militares”.

Ainda na apelação, a DPU pede que o Exército “se abstenha de levar a efeito qualquer evento em comemoração a implantação da ditadura no Brasil, proibindo especialmente o dispêndio de recursos públicos para esse fim, sob de multa a ser fixada ao prudente arbítrio” da justiça.

Depois da fala do presidente, na terça-feira, ontem (25), o Exército, em Brasília, prepara-se para solenidade, já marcada para sexta-feira (29).

Leia Também

Prefeito de Rio Verde vai processar bolsonaristas que participaram de confusão com arma
Polícia
Prefeito de Rio Verde vai processar bolsonaristas que participaram de confusão com arma
Rastrear MS é lançado e quer quebrar cadeia de transmissão da covid-19
Cidades
Rastrear MS é lançado e quer quebrar cadeia de transmissão da covid-19
Jovem encontra corpo do irmão enterrado no quintal do vizinho
Geral
Jovem encontra corpo do irmão enterrado no quintal do vizinho
Glória Maria lamenta excesso de militância: 'qualquer coisa é racismo, assédio, tá um saco'
Geral
Glória Maria lamenta excesso de militância: 'qualquer coisa é racismo, assédio, tá um saco'