Menu
sábado, 27 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Política

Azambuja estuda mudanças no governo e Miglioli não volta neste ano

Governador ainda falou sobre a possibilidade de indicações de Coronel David e Londres Machado

20 novembro 2018 - 14h30Por Diana Christie e Rodson Willyams

Depois de sair do governo para disputar uma vaga no Senado Federal, o engenheiro Marcelo Miglioli deve continuar afastado da Secretaria de Estado de Obras ao menos até o fim do ano.

É o que informou, na manhã desta terça-feira (20), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), durante reunião na Câmara Municipal de Campo Grande.

O governador destacou que está estudando mudanças para a nova gestão, que começa a partir de janeiro com a substituição da vice-governança, que passa de Rose Modesto (PSDB) para Murilo Zaiuth (DEM).

Apesar disso, ele promete que serão poucas movimentações, já que o atual projeto foi revalidado nas urnas. Ainda assim, o objetivo é enxugar o governo e ter uma estrutura menor nas secretarias.

Questionado sobre especulações da indicação dos deputados eleitos Coronel David (PSL) e Londres Machado (PR) para a Secretaria de Segurança Pública e Casa Civil, respectivamente, Reinaldo disse que são bons nomes, pessoas qualificadas, mas "não desenhamos o governo ainda".

O governador espera a pauta do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), que deve ter algumas solicitações para Mato Grosso do Sul e ainda uma reunião, no dia 12 de dezembro, com o ex-juiz Sérgio Moro, futuro ministro da Justiça.

Reinaldo quer ouvir as propostas para a fronteira, que é solicitação de diversos estados. Segundo ele, “Mato Grosso do Sul não produz droga”, mas as fronteiras abertas transformam o estado na principal rota do tráfico internacional.