(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

Bernal joga culpa de rompimento com Solurb em Nelsinho e Olarte

Prefeitura rompeu o contrato com o consórcio

29 DEZ 2016
Rodson Willyams e Thiago de Souza
11h30min

O prefeito Alcides Bernal, do PP, afirmou que o ex-prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho, hoje njo PTB, tinha total ciência das irregularidades cometida pelo Consórcio CG Solurb. Assim, o rompimento seria devido à essas supostas irregularidades.

O ainda prefeito declarou: "Nelsinho participou diretamente [da licitação], pois há informações que o gestor da época acompanhou o certame, então ele sabia de tudo".

À época da licitação do lixo, Nelsinho Trad (ex-PMDB) era casado com a deputada estadual Antonieta Amorim, irmã do empreiteiro dono da Proteco Construções e sogro de Luciano Dolzan, proprietário da LD Construções – uma das integrantes do Consórcio Solurb. A rede familiar acionou um alerta vermelho sobre o contrato, que já foi questionado tanto pelo Ministério Público Federal quanto Estadual.

O contrato nº 332/2012 foi firmado em 25 de outubro de 2012. Realizado pelo modelo ‘parceria público privada’, a CG Solurb ficou responsável pelos serviços de “limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos, consistindo em coleta, transporte, destinação e disposição final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos domiciliares e comerciais; coleta, transporte, tratamento, destinação e disposição final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos dos serviços de saúde, do originário da varrição e limpeza de logradouros e vias públicas”.

A empresa também assumiu a operação dos aterros sanitários Dom Antônio Barbosa I e II e deveria construir um novo aterro sanitário a ser denominado “Erêguaçu”, tudo pelo valor anual de R$ 52.157.648,82, o equivalente a pouco mais de R$ 4,3 milhões mensais. O acordo valeria por 25 anos, contados a partir da primeira ordem de serviço que foi realizada em 21 de novembro de 2012, pelo então prefeito Nelsinho Trad.

Olarte              

Bernal ainda aproveitou para falar de outro ex-prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte, a qual chamou de golpista. O prefeito declarou que Olarte, que assumiu junto com ele, como vice-prefeito, fazia parte do grupo. "Assim que passou a cassação, a Solurb recebeu em torno de R$ 23 milhões da prefeitura", se referindo aos aditivos concedidos por Olarte.

No entanto, segundo Alcides Bernal, o motivo principal do rompimento ficou restrito a dois fatos, 'falta de capital social e superfaturamento'.

Marquinhos

A reportagem entrou em contato com o prefeito eleito Marquinhos Trad, do PSD, questionando a declaração de Bernal em relação ao seu irmão, Nelson Trad Filho.

Em resposta, Marquinhos apenas se limitou a dizer que: "há órgãos de controle externo. Se for comprovado algo, que ele seja acionado pelo Ministério Público ou pela Justiça".

Veja também