Menu
terça, 18 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Bernal chega a Campo Grande e segue direto para o Fórum

25 agosto 2015 - 20h22Por Amanda Amaral e Alessandra Carvalho

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), chegou por volta das 20h05 no Aeroporto Internacional de Campo Grande, após passar o dia cumprindo agenda do partido no Distrito Federal. Após decisão desta terça-feira (25) no Tribunal de Justiça, Bernal retoma oficialmente os trabalhos no cargo nesta quarta, 26 de agosto, aniversário da Capital de Mato Grosso do Sul.

Na saída do local, o prefeito declarou que "agora  vamos trabalhar de forma séria e respeitosa, principalmente em relação ao uso do dinheiro público. Tenho fé em Deus e confio na justiça".

O prefeito seguiu direto para o Fórum Heitor de Medeiros, no Centro, para pedir a autorização de posse imediata ao juiz David de Oliveira Gomes.

Cerca de 200 pessoas, em dezenas de veículos, aguardaram a chegada de Bernal no local. Entre eles, estavam os vereadores Alex do PT, Luiza Ribeiro e Paulo Pedra. As avenidas Duque de Caxias e Afonso Pena estão movimentadas, devido ao deslocamento d e um comboio rumo ao Fórum de Campo Grande.

Operação Coffee Break

Conforme o Gaeco, Gilmar Antunes Olarte, prefeito de Campo Grande, e Mario Cesar Oliveira da Fonseca, vereador e presidente da Câmara Municipal, foram afastados dos hoje cargos por articularem a cassação de Alcides Bernal, em março do ano passado. Pelo menos é o que relata o Ministério Público Estadual, em pedido acatado pelo Desembargador Luiz Cláudio Bonassini, relator da investigação.

Conforme os autos, existe a presença de “indícios veemente de que houve uma articulação entre empresários, vereadores de Campo Grande e o atual prefeito de Campo Grande Gilmar Antunes Olarte, consistente no oferecimento de promessas de vantagens, para fins de cassação de Alcides Jesus Peral Bernal”.

Ainda conforme a peça do MPE, encaminhada à Justiça estadual, empresas como Solurb, Proceto e LD Construções teriam recebido benefícios quando Olarte assumiu o poder.

Com essas acusações, o MPE pediu o afastamento de Olarte e Mario Cesar, e denunciou, por condução coercitiva, os vereadores Edil Albuquerque, Airton Saraiva, Waldeny Batista, Giomar Nery de Souza, Carlos Augusto Borges, Edson Shimabukuro, Paulo Siufi e o ex-vereador Jamal Salem. Também denunciou os empresários João Amorim, João Baird e Fábio Portela Machinski.