Menu
domingo, 22 de maio de 2022 Campo Grande/MS
TOP MIDIA INSTITUCIONAL SUPER BANNER
Política

Camila Jara é a cara da renovação: mais jovem eleita, mulher e cheia de ideias para a Capital

Eleita vereadora, Camila também carrega uma virada de página da esquerda em Campo Grande

17 novembro 2020 - 19h00Por Rayani Santa Cruz

Camila Jara, 25 anos, foi eleita vereadora de Campo Grande pelo PT com 3.470 votos. A mais jovem eleita é militante há cerca de dez anos e carrega consigo a vontade do coletivo. Ela promete levar boas propostas para a Câmara Municipal na próxima legislatura.

Jara, que é a cara da renovação da esquerda na Capital, explica que a decisão de enfrentar o pleito partiu do coletivo, de movimento estudantil e de participantes de movimentos sociais que acharam por bem ter uma representante na Câmara.

“A decisão de lançar candidatura saiu de um pedido coletivo de uma galera vinda de movimentos sociais, movimento estudantil e dentro do partido porque a gente entendia que as nossas pautas e a nossa voz não eram escutadas. Nossas demandas não eram processadas pela instituição política. Por isso, começamos a montar um movimento e levantar todas as questões de Campo Grande para entender quais eram os principais problemas e enfrentá-los para construir uma cidade menos desigual. A partir daí, a agente entrevistou mais de 700 pessoas e  começamos a pensar soluções dentro da função do Legislativo para sanar esses problemas”, explica Camila, que já tem 30 propostas prontas para apresentar na Casa de Leis.

A eleita afirma que vai exercer um mandato participativo e conectado com as pessoas. Ele vislumbra um gabinete itinerante e pensa em desenvolver um aplicativo para atender a demanda da comunidade. “Tudo foi uma construção coletiva. Desde o pensar no nascimento da campanha e a condução dela. É assim que a gente vai pensar e pautar o mandato”. 

Relação com o Executivo

Camila Jara diz que a relação com o Executivo será de parceria, desde que não haja pautas que retirem direitos da população. “A nossa relação com o Executivo pode se dar através de uma parceria desde que não retirem direitos e visem a melhora do campo-grandense. Quando quiser passar um projeto que retira direitos e que aprofunde a desigualdade, vamos exercer oposição consciente e responsável disposta a construir para melhorar a vida das pessoas. E não oposição apenas por ser oposição”.

A vereadora eleita está satisfeita e cita que vai trabalhar para que a Casa de Leis se torne ainda mais democrática nos próximos anos.

“Estamos muito satisfeitos. Fazia muito tempo que um representante de esquerda não recebia essa votação expressiva. Acho que é sinal que há esperança e que a gente pode continuar a construir uma sociedade onde o Estado seja mais atuante para melhorar a vida das pessoas. Que a gente pode sonhar com Câmara mais democrática e que as pessoas vejam que estão representadas lá”, finaliza Camila Jara.