Menu
segunda, 02 de agosto de 2021
Política

Para salvar MDB, Puccinelli se arrisca a voltar para prisão em visita surpresa a vereadores

Ex-governador foi solto sob a condição de não se envolver com política novamente

25 fevereiro 2019 - 12h56Por Rodson Willyams

O ex-governador André Puccinelli (MDB) esteve, na manhã desta segunda-feira (25), visitando os vereadores Loester Nunes e Wilson Sami, do mesmo partido, na Câmara Municipal. Segundo informações obtidas pelo TopMídiaNews, oficialmente a visita seria apenas de 'cortesia' para os amigos de profissão, mas ele tratou assuntos do MDB, que está enfraquecido em Mato Grosso do Sul.

Após cinco meses preso, Puccinelli foi solto em dezembro. A decisão saiu da 6ª Turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça), com relatoria da ministra Laurita Vaz. O filho dele, André Puccinelli Junior, também foi beneficiado.

No entanto, uma das condições para que o ex-governador fosse solto seria que ele se mantivesse longe do cenário político sul-mato-grossense. Segundo a Justiça, ele é investigado por lavagem de dinheiro (pena máxima 10 anos), fraude em licitação (até 5 anos), desvio de recurso público (até 12 anos), corrupção (até 12 anos) e superfaturamento de obras. Segundo a PF (Polícia Federal), ele seria o mentor de grande quadrilha que dominava os contratos públicos durante sua gestão.

O que diz a defesa

O advogado Renê Siufi, que trabalha na defesa do ex-governador, declarou que 'não vê problema algum' em relação da ida de André na Câmara Municipal. "Ele foi fazer apenas uma visita de cortesia a um amigo também médico. Não tem problema algum ele ir lá. É como se ele tivesse encontrado o prefeito, por exemplo. Ele não iria poder cumprimentá-lo? Não teria cabimento".

Ao ser questionado se o ex-governador poderia ser denunciado por descumprir ordem judicial, Renê afirmou que André não corre esse risco porque "não fez nada de errado e, novamente, não teria problema algum".

Discussão política

No entanto, o vereador Wilson Sami afirmou que André foi tratar de assuntos ligados ao partido. "Ele está reestruturando o partido. Ele vai marcar uma reunião com a Executiva, e como o Loester e eu fazemos parte, ele veio conversar com a gente".

Sami ainda afirmou que, em Mato Grosso do Sul, 'o MDB se esfacelou' e agora o partido tenta se reerguer. "Vamos lutar para tenhamos a verdadeira democracia", finalizou.

A reportagem tentou contato com a assessoria de imprensa de Loester Nunes, que apenas confirmou a visita. "Foi uma visita de cortesia".