tjms julho
Menu
Busca quinta, 09 de julho de 2020
REFIS SAUDE
Política

Dilma acompanhará votação final ao lado de Lula, Falcão e ex-ministros

Senado decide nesta quarta se afasta petista definitivamente da Presidência

31 agosto 2016 - 08h16Por O Globo

A presidente afastada Dilma Rousseff deve assistir à votação final do julgamento do processo de impeachment nesta quarta-feira (31) no Palácio da Alvorada, acompanhada de alguns aliados, como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do PT, Rui Falcão, e o deputado Silvio Costa (PTdoB-PE), um de seus principais defensores no Congresso.

Segundo o G1 apurou, ex-ministros mais próximos da petista, como Jaques Wagner e Miguel Rossetto, também deverão acompanhá-la enquanto o Senado decide se aprova ou rejeita o impeachment.

Após o Senado tomar uma decisão, a presidente afastada pode fazer um pronunciamento informaram nesta terça (30) ao G1 assessores da petista. Embora a decisão ainda não tenha sido divulgada, o pronunciamento deverá ocorrer no Palácio da Alvorada.

A sessão destinada ao julgamento final de Dilma começou na quinta-feira passada (25) e, ao longo dos últimos dias, foram ouvidas testemunhas de defesa e de acusação, os autores do pedido de impeachment, a defesa da presidente afastada e a própria Dilma.

Nesta terça, enquanto os senadores discursavam no plenário, Dilma recebia parlamentares indecisos no Palácio da Alvorada em busca de convencê-los a votar contra o impeachment.

Segundo o ex-ministro Miguel Rossetto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também passou o dia no palácio conversando com parlamentares.

Pronunciamentos

Ao longo do andamento do processo de impeachment no Congresso, Dilma fez alguns pronunciamentos à imprensa, à medida em que novos fatos ocorriam.

Em 2 de dezembro, por exemplo, quando o então presidente da Câmara, deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acolheu o pedido, ela chamou jornalistas ao Planalto, fez um pronunciamento, mas não respondeu a perguntas.

Em 18 de abril, um dia após o plenário da Casa aprovar a continuidade do processo e enviá-lo ao Senado, Dilma fez outro pronunciamento. Desta vez, a assessoria de Dilma sorteou cinco perguntas de jornalistas para serem respondidas pela presidente.

Em 12 de maio, horas após o Senado aprovar a admissibilidade do processo, o que resultou no afastamento dela, Dilma voltou a chamar a imprensa ao Planalto. Ela não respondeu perguntas, mas, ao deixar o palácio, fez um pronunciamento, ao lado de Lula e de aliados, aos apoiadores do governo que a esperavam do lado de fora e protestavam contra Michel Temer e Cunha.

Notificação

Conforme a Secretaria-Geral da Mesa do Senado, se o Senado aprovar o impeachment, Dilma e Temer serão notificados sobre a decisão do plenário.

Uma sessão conjunta do Congresso, formada por deputados e senadores, então, será convocada para Temer ser diplomado presidente da República. Dilma, por consequência, passará à condição de ex-presidente.

Segundo assessores de Dilma, o pronunciamento da presidente afastada nesta quarta não tem uma hora marcada porque não há previsão para a votação terminar. A expectativa entre senadores, entretanto, é que ainda pela manhã o resultado já será conhecido.

 

Leia Também

Inocentes vão morrer por causa de desobedientes, desabafa prefeito
Cidades
Inocentes vão morrer por causa de desobedientes, desabafa prefeito
SES entrega leitos de UTI para covid-19 no Hospital do Câncer
Saúde
SES entrega leitos de UTI para covid-19 no Hospital do Câncer
Ajudar? Tem comerciante cobrando R$ 50 para passar parte do auxílio emergencial em Campo Grande
Cidade Morena
Ajudar? Tem comerciante cobrando R$ 50 para passar parte do auxílio emergencial em Campo Grande
BOM EXEMPLO: moradores montam sistema de vigilância contra assaltos no São Conrado
Cidade Morena
BOM EXEMPLO: moradores montam sistema de vigilância contra assaltos no São Conrado