ENTREGAS
(67) 99826-0686
ENTREGAS

Em debate na ACP, Bernal se irrita ao ser vaiado e dispara: 'estou acostumado a interrupções'

Profissionais da Educação não gostaram quando o prefeito falou sobre o piso salarial dos professores

13 SET 2016
Rodson Willyams e Dany Nascimento
10h07min
Foto: Dany Nascimento

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal, do PP, passou por uma saia-justa após ser vaiado ao se apresentar no 1º debate realizado pela ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública), que acontece no Clube de Campo da ACP, no Bairro Santa Emília, em Campo Grande.

Por meio de sorteio, Bernal foi o sétimo candidato a se apresentar durante o primeiro bloco do debate. Ao falar sobre o piso salarial, quando relembrou que em 2013 foi o prefeito que aprovou 100% o piso salarial dos professores, a fala causou descontentamento dos presentes. 

Com um público de aproximadamente, 150 pessoas, grande parte da área da educação, muito começaram a duvidar da declaração de Bernal, que afirmou que vai cumprir a lei. "Ah, vai...", Ah, tá"!, "Aham, sabemos"! foram algumas das falas; logo em seguida, Bernal foi vaiado pelos presentes. 

A jornalista Débora Alves, que conduz o debate precisou interromper a fala de Bernal para pedir aos presentes que ficassem em silêncio. "Aqui não é permitido vaias", alertou. Logo depois, deu mais 10 minutos a Bernal para que continuasse se apresentando. 

Visivelmente irritado, o prefeito falou. "Estou acostumado a interrupções e não casso mandato de ninguém para ganhar vantagens", encerrando a sua abertura. 

Antes de Bernal, a vice-governadora Rose Modesto, do PSDB, abriu o debate e chegou até a ser aplaudida quando falou sobre o assunto considerado polêmico pelo atual prefeito. Logo depois foi a vez de Lauro Davi, Fábio Arce, Rosana Santos, Suél Ferranti, Marcelo Bluma, Alcides Bernal, Aroldo Figueiró, Alex do PT, Maquinhos Trad e Cornel David. 

Críticas 

Outros candidatos ainda aproveitaram para tecer críticas ao atual prefeito. Um deles foi o candidato Marcos Alex, do PT. "Eu vi a volta de gestores que só prolongam as questões do piso salarial. Fica postorgando a situação e vi a categoria ser humilhada", comentou. 

Nesse momento, o candidato foi amplamente aplaudido pelos presentes. 

 

Veja também