TCE JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
quarta, 29 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
Política

Em Dourados, MPE recomenda que Délia exonere imediatamente ex-secretário de Zeca do PT

Raufi Marques foi condenado pela Justiça e atualmente, ocupa cargo em comissão no município, como secretário de Governo

14 março 2017 - 09h57Por Rodson Willyams com MPE

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul recomendou que a prefeita de Dourados, Délia Razuk, exonere de forma imediata o secretário municipal de Governo, Raufi Antonio Jaccoud Marques. A recomendação é do promotor de Justiça, Ricardo Rotunno, titular da 16ª Promotoria de Dourados. 

Segundo o MPE, Jaccoud levou em consideração que à época tramitava em desfavor do agente político a ação de improbidade administrativa n. 0036166-43.2008.8.12.0001, que tinha por objeto a condenação de José Orcírio Miranda dos Santos, Raufi Antonio Jaccoud Marques e outros, pela prática dos atos ímprobos previstos nos arts. 10, I, XI e XII, da Lei 8.429/92.

E na recomendação de n. 0004/2017/16PJ/DOS, afirma que tanto as novas nomeações assim como a permanência de pessoas em cargos em comissão deve seguir o disposto na Lei Complementar Municipal 203/2012, além dos preceitos insculpidos na Constituição Federal.

O promotor também considerou que recentemente, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, por intermédio da 2ª turma proferiu acórdão condenatório em desfavor dos requeridos, aplicando aos condenados, incluindo Raufi Antonio Jaccoud Marques, as penas previstas no art. 12, II, daquela norma, consistentes, no ressarcimento ao erário, suspensão de direitos políticos, pagamento de multa civil e proibição de contratar com o poder público e receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário.

Para Ricardo Rotunno, “mesmo após a condenação por ato doloso de improbidade administrativa, Raufi Antonio Jaccoud Marques permanece à frente da Secretaria Municipal de Governo. E, tal conduta além da violar aos princípios da administração pública como um todo, fere texto expresso da Lei Complementar Municipal n. 203/2012, que “disciplina a nomeação para cargos em comissão da Administração Direta ou Indireta do Poder Executivo Municipal”.

O Ministério Público Estadual deverá ser comunicado, no prazo de até 10 (dez) dias a partir do recebimento da presente.