Menu
quinta, 24 de setembro de 2020
Política

Fábio Trad qualifica briga de Bolsonaro e Rodrigo Maia como ‘lamentável desinteligência’

Para deputado federal de MS, discussões podem pôr em xeque ‘as reformas que o Brasil precisa’

25 março 2019 - 14h00Por Celso Bejarano, de Brasília

O deputado federal Fábio Trad (PSD), afirmou, nesta segunda-feira (25), ao TopMídiaNews, que torce por mais “temperança, equilíbrio, postura republicana e, sobretudo, investimento emocional, psicológico e um diálogo franco, sincero, honesto, entre os poderes da República, através de seus representantes maiores”.

Membro permanente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), por onde vai passar primeiro para a avaliação o famigerado projeto da Reforma da Previdência, o comentário de Fábio Trad tem a ver com as recentes brigas envolvendo o presidente da República, Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM).

Bastou Bolsonaro dizer por suas redes sociais que havia entregado o projeto da Previdência para o presidente da Câmara e que agora a tarefa de aprová-lo era missão de Maia, para que fosse instalada uma espécie de pugilato verbal entre os dois.

Rodrigo Maia respondeu com declarações à imprensa, em Brasília, que ele está empenhado em aprovar a reforma da Previdência, contudo, mandou um recado ao presidente ao dizer que Bolsonaro devia dedicar mais tempo à reforma e conversar menos pelo Twitter.

O QUE FÁBIO ACHA

“Espero que esta desinteligência seja episódica porque, em verdade, o Brasil está passando por uma fase histórica que demanda de tamanha posição efetiva por parte de quem comanda o seu destino”, comentou o deputado sul-mato-grossense acerca das discórdias em questão.

Contudo, para o parlamentar, as discussões entre Maia e Bolsonaro “podem colocar em xeque a oportunidade histórica de aprovar as reformas que o Brasil necessita. Acho, inclusive, que essas discussões penalizam o processo de uma construção de agenda consensual do país”.

Ainda segundo Fábio Trad, “as partes envolvidas nesta lamentável desinteligência devem se preocupar menos em fazer prevalecer seus argumentos como se fossem parte de um duelo argumentativo e unir forças para que os três poderes, junto com a sociedade, convirjam para uma agenda de desenvolvimento e prosperidade para o Brasil”.

Concluiu o deputado: “assim eu espero tanto do presidente Bolsonaro quanto da parte de Rodrigo Maia, que haja um diálogo cada vez mais construtivo e, sobretudo, republicano”.

COMO ESTÁ A REFORMA

Passado o puxão de orelha, no entanto, o deputado vê com otimismo o andamento do projeto da reforma, na Câmara Federal.

Ele crê que ainda nesta semana o relator do projeto seja escolhido e que a proposta deva ser aprovada até o meio deste ano.

Fábio Trad contou que, na quarta-feira (27), a CCJ vai ouvir o ministro Paulo Guedes (Economia), que fala sobre os impactos econômicos da reforma. No dia seguinte, falam na audiência juristas contrários e favoráveis às modificações da Previdência.

Os especialistas, dois ou três, foram escolhidos por meio de consenso entre os integrantes da CCJ e o governo de Bolsonaro.

Semana que vem, presume o deputado, as discussões centram no projeto, já com a avaliação dos integrantes da comissão, cuja tarefa é apontar se a ideia é constitucional, ou não. Aprovada, a proposta é votada em plenário pelos deputados federais.

O parlamentar afirmou também que eventuais ajustes no projeto podem ser debatidos.

Leia Também

Em Campo Grande, shopping realiza ação on-line para adoção de animais
Cidade Morena
Em Campo Grande, shopping realiza ação on-line para adoção de animais
Deputado apela a bancada de MS para apurar preço abusivo no pedágio da BR-163
Geral
Deputado apela a bancada de MS para apurar preço abusivo no pedágio da BR-163
Amigos dizem que comerciante morto após tentar invadir delegacia sofria de depressão
Interior
Amigos dizem que comerciante morto após tentar invadir delegacia sofria de depressão
Defensoria de MS promove audiência para discutir volta às aulas presenciais na rede pública
Cidade Morena
Defensoria de MS promove audiência para discutir volta às aulas presenciais na rede pública