Menu
quarta, 03 de março de 2021
Política

Motorista do Trutis teve R$ 79 mil para campanha, mas não conseguiu nem 700 votos na Capital

Em meio a investigação da PF por possível atentado fake, ele tomou tinta nas urnas; PSL elegeu o Coronel Alírio Villasanti que teve valor menor de receita

30 novembro 2020 - 07h00Por Redação

Motorista e candidato a vereador com total apoio do deputado ‘Tio Trutis’, Ciro Fidelis contabilizou apenas 684 votos em Campo Grande. Mesmo tendo R$ 74 mil enviados pelo diretório nacional do PSL, o fiasco no resultado das eleições veio como resultado de investigações da Polícia Federal, que emitiu laudo apontando fortes indícios de que o ‘atentado’ sofrido por Trutis e Fidelis tenha sido forjado.

Além do valor do fundo partidário Fidelis ainda investiu R$ 5 mil do próprio bolso totalizando R$ 79 mil em receita. O único eleito pelo PSL foi o Coronel Alírio Villasanti que teve R$ 30 mil recebidos pela direção estadual do partido, investiu do bolso R$ 34.500,00 e teve doação de R$ 2 mil totalizando R$ 66.500,00.

Mesmo com muita grana para campanha, outro fato para o fracasso de Fidelis pode ter sido a puxada de tapete de Trutis em Vinicius Siqueira, que teve de procurar a Justiça Eleitoral para conseguir ser candidato a prefeito, depois que Trutis ‘tomou’ o lugar e se lançou na frente. 

A mancha no histórico político do deputado talvez não tenha sido tão impulsionadora como Fidelis imaginava. Se número de seguidores em página de Facebook fosse sinônimo de votos, o motorista do Tio Trutis talvez tivesse conseguido chegar a Câmara. No entanto, com o saldo ele ficou de suplente e até consegue se eleger presidente de bairro.