Menu
Busca terça, 21 de janeiro de 2020
Política

Para Pedro Kemp, Porta dos Fundos só gerou ódio por retratar Jesus gay

Outras atrações já satirizaram o cristianismo e não foram odiadas, diz o parlamentar

13 janeiro 2020 - 18h12Por Thiago de Souza

Deputado estadual Pedro Kemp, do PT, refletiu sobre o episódio do humorístico Porta dos Fundos e destacou que só houve polêmica porque a atração associaou Jesus Cristo à homossexualidade. Ele lembrou que outros filmes já satirizaram o cristianismo, mas ''passaram batido'' pela censura do público.

O parlamentar destacou que, recentemente, assistiu ao filme ''O Auto da Compadecida'', de Ariano Suassuna, que ''não gerou o mesmo ódio de alguns cristãos como o especial Porta dos Fundos''.

''Será que é porque este último tratou da questão da homossexualidade?, questionou o petista.

Na visão de Kemp, o que mais ofenderia a imagem de Deus, de Jesus Cristo e Maria de Nazaré são as injustiças sociais, que desfiguraram a imagem de Deus nas pessoas marginalizadas.

''Afinal, a principal mensagem de Jesus não foi "Amai-vos uns aos outros"? Então, por que não praticamos verdadeiramente isso, nós cristãos?'', voltou a perguntar.

Pedro lembrou que nas passagens bíblicas, Jesus não condenava as pessoas e, diante de quem errava, dizia: ''Não te condeno, vá em paz e não peques mais'', detalha Pedro, ao citar o livro de João 8:3-11.

Como reflexão, o parlamentar sugere amar mais a Deus, principalmente os que estão excluídos na sociedade e vítimas da inúmeras formas de violência.

''Não é um filme que ofende a Deus'', observa o deputado, complementando que ''quem não quiser assistir, não assista''.