Menu
quinta, 01 de outubro de 2020
Política

Par...tido: anulação da 'convenção dos horrores' só confirma racha entre Trutis e Soraya

Briga entre deputado e senadora envolve até cobrança do Ecad em motéis

15 setembro 2020 - 13h00Por Thiago de Souza

A anulação da convenção do PSL, que definiu Loester Trutis como candidato a prefeito de Campo Grande, pela senadora Soraya Thronicke, nesta segunda-feira (14), só confirmou o desarranjo vivido pela legenda em Mato Grosso do Sul. O duelo entre as duas lideranças já vem de longe, mas se acentuou com a chamada ‘’convenção dos horrores’’. 

Em meados de agosto, Trutis, que é presidente do PSL em Campo Grande, se manifestou contra um projeto de lei, o 3968, de 1997, que isenta hotéis e motéis da cobrança por direitos autorais de canções tocadas em seus estabelecimentos. A fala foi interpretada como um ‘’chute na canela’’ de Thronicke, pelo fato dela ter alcançado sucesso justamente com uma rede de motéis na Capital. 

‘’Você quer trabalhar sem receber? Entregaria um produto, fruto do seu trabalho, de graça para quem pode pagar ganhar dinheiro com isso?’’, questionou Trutis sobre as músicas tocadas em motéis. 

Soraya havia dito que se a cobrança por músicas tocadas em quartos de motéis voltasse, seria um abuso e, logo logo, as pessoas que escutam música dentro de casa iriam passar a pagar a taxa do Ecad. Trutis rebateu e, sem citar o nome da senadora, alertou os internautas dizendo que era uma fake news. 

‘’Pessoal, isso é falácia! Isso é falta de conhecimento ou má-fé de quem tem algum interesse escuso’’, esbravejou Trutis. ‘’Esses motéis querem consumir o produto de um trabalhador sem pagar por isso’’, acrescentou o deputado. 

Mais tretas

Outra confusão armada pelo deputado e que afetou diretamente o trabalho de Soraya, foi quando ele exigiu de pré-candidatos a prefeito pelo PSL no interior, que assumissem o compromisso, caso eleitos, demitir secretários municipais e usar o dinheiro para contratar médicos especialistas. 

Na ocasião, Sindoley Morais, que é vice-presidente estadual do PSL, rechaçou as propostas de Trutis, classificando-as como eleitoreiras. Os dois bateram boca em um grupo de WhatsApp com presidentes de diretórios municipais e pré-candidatos a prefeito, até Trutis se desligar do grupo. 

Trutis usou uma atribuição que não era a dele e sim da senadora Soraya, que é presidente da legenda em MS. 

Após anular a convenção deste domingo, Soraya marcou para novo evento para o dia 16 de setembro, onde a legenda deve confirmar o nome de Siqueira como o novo candidato do PSL. Trutis foi destituído. 

Leia Também

Homem é esfaqueado na frente de casa no Coophavilla
Polícia
Homem é esfaqueado na frente de casa no Coophavilla
Grana no bolso: mais 3,9 milhões têm saque do auxílio de R$ 600 liberado hoje
Economia
Grana no bolso: mais 3,9 milhões têm saque do auxílio de R$ 600 liberado hoje
Homem morre e mulher fica ferida em atentado em Ponta Porã
Interior
Homem morre e mulher fica ferida em atentado em Ponta Porã
Primeiro dia de outubro vai ser de 'derreter' em MS, com máxima de 41°C
Cidades
Primeiro dia de outubro vai ser de 'derreter' em MS, com máxima de 41°C