TCE SETEMBRO
Menu
sexta, 24 de setembro de 2021 Campo Grande/MS
Política

Pelo voto impresso, Bolsonaro diz: "Fazemos eleições limpas ou não teremos eleições"

Atual presidente, dessa vez para apoiadores, novamente fez questão de crítica modelo de escolha dos governantes no país e faz mais um lobby por voto impresso

08 julho 2021 - 14h36Por Vinicius Costa

O presidente Jair Bolsonaro utilizou a manhã desta quinta-feira (8) para falar com seus apoiadores e, novamente, fazer um lobby para que as eleições deixem as urnas e passem a ser feitas pelo voto impresso. Na capital federal, o governante alega que caso esse recurso não seja implantado, não haverá eleições.

Na visão de Bolsonaro, a falta de mudança no processo eleitoral coloca em dúvida a eficácia das urnas e, segundo ele, o apoio que vem tendo pela implantação do voto impresso, que teria agradado os eleitores, colocaria em risco as eleições.

"As eleições no ano que vem serão limpas. Ou fazemos eleições limpas no Brasil ou não temos eleições", disparou.

Na data de ontem (7), Bolsonaro participou de uma entrevista para a Rádio Guaíba, do Rio Grande do Sul e disse ter comprovações, mas sem apresentá-las, de que as eleições de 2014 teriam sido fraudadas e que o grande vencedor deveria ter sido Aécio Neves (PSDB) e não Dilma Roussef (PT).

Primeiro, o atual presidente explicou que uma equipe que "entende do assunto" estudou aquelas eleições e que teria comprovado um fraude nas urnas, mas não apresentou detalhes e tampouco provas. "Nosso levantamento, feito por gente que entende do assunto, garante que sim. Não sou técnico de informática, mas foi comprovado fraude em 2014", disse sem dar muitos detalhes.

Bolsonaro acredita que ainda o país passe por "problemas" e que algum lado não aceita o resultado das urnas, referindo-se a uma possível derrota do governo.

"Eles vão arranjar problemas para o ano que vem. Se este método continuar aí, sem, inclusive, a contagem pública, eles vão ter problemas. Porque algum lado pode não aceitar o resultado. Este algum lado, obviamente, é o nosso lado, pode não aceitar o resultado".