Menu
segunda, 30 de novembro de 2020
Política

“Pré-campanha” durante pandemia: do PSL, Siqueira é criticado até pela oposição do prefeito

De olho na Prefeitura, o vereador é conta decretos municipais para redução da covid-19; ele foi repudiado por vereadores na sessão da Câmara

16 julho 2020 - 12h44Por Rayani Santa Cruz

Em ritmo de pré-campanha e com críticas ferrenhas às ações da Prefeitura frente à pandemia do novo coronavírus, o vereador Vinícius Siqueira (PSL) foi repudiado na sessão desta quinta-feira (16).

Com taxa de ocupação aumentando nos leitos clínicos de Campo Grande, Siqueira diz que Marquinhos Trad (PSD) está suprimindo direitos constitucionais.

“Vimos um prefeito cambaleando em relação à covid, fazendo desfiles na frente de carro de desinfecção, muita propaganda, muita live e pouca ação. Alterar os horários de atendimento detonando o comércio mostra que o prefeito não tem estudo técnico e não sabe o que está fazendo. Ele está no achismo, violando os direitos e garantias fundamentais constitucionais. Queremos saber os motivos dessa supressão de direitos. É um desgoverno”, citou.

O pré-candidato afirma que entrou com mandado de segurança pedindo a fundamentação técnica sobre os motivos do decreto aos finais de semana. 

Campanha com a pandemia

Em resposta, o vereador Chiquinho Telles (PSD) citou que Siqueira quer fazer campanha com a pandemia, e repudiou a fala. Foi citado que os decretos foram realizados em conjunto com Ministério Público, Sesau, CDL e Associação Comercial.

“O vereador já está em campanha antecipada porque é pré-candidato à Prefeitura. Espero que peça perdão às famílias. Se aproveita de uma situação preocupante para falar que o prefeito está sendo irresponsável, com discurso eleitoreiro. Quero repudiar a fala do vereador Vinicius”, disse.

(Reprodução Live Facebook)

Otávio Trad (PSD) disse a Siqueira que o estudo técnico pode ser feito em uma ida ao Hospital Regional. “Esses dias, recebi um vídeo dele em reunião em estacionamento de supermercado. Ou mesmo ao início da pandemia, quando ele pediu licença da Casa e estava em terminais fazendo vídeo. É muita hipocrisia”, citou.

Cadáveres para campanha

“Querem usar cadáveres para palanque e projeto político. Isso é uma vergonha. O mundo passa por essa situação. Os EUA, que pareciam controlar, estão vivendo isso. Palanque não se faz em cima de cadáver, se faz com trabalho e prestação de serviço. Não se faz só gravando vídeo não.  Exijo respeito a todos os profissionais de saúde que estão trabalhando, e a todos que estão doentes”, disse o vereador Eduardo Cury, que também repudiou a fala de Siqueira. 

(Vereador Cury. Reprodução Live Facebook)

Carlão (PSB) disse que uma oposição ruim torcendo para mortes e tragédias para fazer campanha soa preocupante para a população. “Esse não é momento de fazer política, tem erros e acertos, com a intenção maior de acerto. Política é depois. Primeiro é salvar vidas”.

De oposição, o vereador doutor Loester (MDB) parabenizou o prefeito e citou que a conduta deve permanecer. 

Leia Também

Adolescente de 17 anos morre em batida entre motos em assentamento de Nova Andradina
Interior
Adolescente de 17 anos morre em batida entre motos em assentamento de Nova Andradina
Sebastião Melo vence comunista Manuela D’ávila em Porto Alegre
Geral
Sebastião Melo vence comunista Manuela D’ávila em Porto Alegre
Bruno Covas derrota Guilherme Boulos com diferença de quase 20% em SP
Geral
Bruno Covas derrota Guilherme Boulos com diferença de quase 20% em SP
Disputa pela presidência da Câmara de Campo Grande já tem três nomes
Política
Disputa pela presidência da Câmara de Campo Grande já tem três nomes