TCE MAIO
(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

Prefeita eleita de MS tem direitos políticos cassados por compra de votos

Ilda foi flagrada em vídeo entregando dinheiro a eleitor durante a campanha

10 NOV 2016
Diana Christie
15h16min

A prefeita eleita de Fátima do Sul, Ilda Machado (PR), e seu vice, Altair Albuquerque, foram condenados à perda dos direitos políticos e cassação do diploma por compra de votos durante a campanha eleitoral deste ano, conforme o site SiligaNews. A decisão da juíza da 4ª Zona Eleitoral de Fátima do Sul, Rosângela Alves Fávero de Lima, também prevê multa de 10 Uferms (Unidade Fiscal Estadual de Referência de Mato Grosso do Sul).

Esposa do ex-deputado estadual Londres Machado, Ilda foi flagrada oferecendo vantagens ilícitas para um eleitor, tudo registrado em vídeo. Na gravação, ela aparece entregando R$ 200 a um homem , para que ele repassasse o valor a uma terceira pessoa. Como recomendação, ela dispara que use o dinheiro para um 'churrasquinho bem gostosinho'.

Cópia da decisão judicial - Foto: Reprodução

Na gravação, o homem que aparece conversando com a prefeita eleita faz a seguinte pergunta: "É pedido dela, ela não tem coragem de falar, não tem coragem de ligar, não eu converso com a prefeita, pode falar? [...] Tem como deixar R$ 200, para ela separado?", diz o homem.

Ilda concorda e retira o dinheiro, que estava guardado junto ao corpo, no sutiã, e conta as cédulas. "Deixo...Deixa eu ver se tem aqui...cem...duzentos...". O homem ainda afirma que vai entregar o valor, quando a prefeita eleita dispara: "tá bom. Fala para ela, que ela faça um churrasquinho bem gostosinho para vocês. Que Deus abençoe. Estou confiante em você".


Chapa cassada - Foto: Divulgação/SiligaNews

De acordo com o SiligaNews, o atual prefeito do município, Júnior Vasconcelos (PSDB), também teve o registro de candidatura cassado por abuso do poder político ao realizar a entrega dos contratos relativos as 300 casas financiadas pelo programa social Minha Casa Minha Vida em evento no mês de agosto.

Como a decisão contra Ilda foi em 1ª Instância, ainda cabe recurso. Se confirmada a previsão, o presidente da Câmara Municipal assume o cargo temporariamente e novas eleições podem ser convocadas.

Veja também