TJMS JANEIRO
Menu
domingo, 23 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Sem blindagem, Puccinelli presta depoimento e nega 'derrubada' de Bernal

Investigação

11 setembro 2015 - 09h03Por Mariana Anunciação e Rodson Willyams

André Puccinelli chegou à sede do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), em Campo Grande, para prestar depoimento aos agentes da Operação Coffee Break às 8h45 desta sexta-feira (11), com 15 minutos de antecedência. Sem a 'blindagem' que tinha como Governador do Estado, Puccinelli foi convocado a falar com o promotor Marcos Alex Vera, sobre a investigação que apura suposta compra de votos para a cassação de Alcides Bernal, em março de 2014.

Muitos se espantam pelo fato do seu suposto envolvimento, mas ao ser indagado pela imprensa, ele alega que não participou do "golpe"' contra o prefeito Alcides Bernal.

Na qualidade de testemunha e acompanhado do advogado Renê Siufi, a presença chama atenção da população de Campo Grande, já que antes era considerado blindado, por sua autoridade política.

O ex-governador, conforme a Polícia Federal, é apontado como um dos principais beneficiários do esquema de corrupção que fraudava licitações de obras públicas revelado pela Operação Lama Asfáltica, deflagrada no último 9 de julho.

Puccinelli foi indagado sobre o fato de ter conversado com dois vereadores na época da cassação do prefeito Bernal. Ele negou a relação e ainda contou que vai colaborar com todos os questionamentos do promotor. "Ele que pergunte", disse, com veemência.

Antes de entrar para depor, Puccinelli salientou que na época seu 'melhor cabo eleitoral' seria Alcides Bernal. Sobre a atual gestão em que a cidade vive um momento de crise, ele desviou do assunto. "Não atuei para derrubar e nem para trazer de volta ninguém", concluiu.