TJ BANNER JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sábado, 25 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Política

Tereza Cristina pode abandonar barco junto com Moro

Ala do Democratas quer ministra sul-mato-grossense longe de Bolsonaro

25 abril 2020 - 09h30Por Vinícius Squinelo

A ministra da Agricultura Tereza Cristina é o novo alvo da fritura liderada pelo gabinete do ódio bolsonarista, e sem interferência do presidente. A situação, somada à demissão do ministro da Justiça Sérgio Moro, pode gerar a saída também da sul-mato-grossense da equipe de Jair Bolsonaro.

A imediata retirada do barco bolsonarista é cobrada, inclusive, por ala do Democratas nacional, sigla da ministra. A avaliação da cúpula da sigla, conforme a mídia nacional, é que a proximidade com o presidente está cada dia mais danosa e o seria o afastamento.

A separação já vem se formando mesmo antes da crise com Sérgio Moro. Tereza Cristina reclama dos constantes ataques de nomes como Abraham Weintraub e Ernesto Araújo à China, principal comprador do agronegócio brasileiro. Assim, a ministra se tornou alvo da rede de destruição de reputações liderada pelo chamado gabinete do ódio.

Inclusive, Tereza já relatou que estaria prestes a deixar o ministério. A saída da dama de ferro do agronegócio brasileiro é considerada um desastre para o setor. Mais um, nesse atual governo.

Na matemática das finanças mundiais, a conta brasileira é simples: a China é a maior compradora de alimentos, liderando também as importações do Brasil. Para se ter uma ideia, no primeiro trimestre deste ano – dado mais recente – o gigante asiático gastou 6,5 bilhões de dólares com alimentos brasileiros. Os Estados Unidos, 676 milhões de dólares.

Na prática, porém, a racionalidade passa longe do gabinete do ódio, cada dia mais próximo de cair em graves investigações policiais.