Menu
sexta, 25 de setembro de 2020
Política

Vander critica proposta de Bolsonaro para reduzir salários durante pandemia de coronavírus

O deputado classifica como “ridícula” a proposta de dar auxílio de 200 reais para trabalhadores informais e cita exemplos de outros países

22 março 2020 - 15h15Por Diana Christie

O deputado federal Vander Loubet (PT) criticou, neste domingo (22), o anúncio do governo federal de medidas para permitir que empresas e órgãos públicos cortem até metade dos salários e da jornada de trabalho de funcionários regidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

“Não tem cabimento aprovar a proposta do governo Bolsonaro de redução de salários, seja na iniciativa privada, seja no setor público. Não é momento para esse tipo de medida. Em um momento de crise econômica, isso vai agravar ainda mais a situação, é algo que vai na contramão do que vários países do mundo estão fazendo”, destacou.

Segundo o Ministério da Economia, a permissão de corte de salários valerá até 31 de dezembro deste ano e será feita por medida provisória ou projeto de lei. No primeiro caso, entra em vigor assim que for editada. No segundo, ainda precisaria de aprovação do Congresso.

Para Vander, a iniciativa atrapalha a rede de solidariedade, tão necessária durante a pandemia de coronavírus. “Uma das coisas que vai ajudar nosso país a superar essa crise é a solidariedade. Com certeza, muitos de nós terão que ajudar suas famílias, seus amigos, pessoas que muitas vezes se encontram numa situação pior que a nossa. Como os trabalhadores poderão fazer isso se perderem parte do seus salários?”.

O deputado classifica como “ridícula” a proposta de dar auxílio de 200 reais para trabalhadores informais e cita exemplos de outros países, como o governo do Reino Unido, que anunciou o adiamento de pagamentos de impostos no valor de 30 bilhões de libras (174 bilhões de reais) pelas empresas até o final de junho.

“Também anunciou que vai conceder subsídios em dinheiro para pequenas empresas e ajuda para trabalhadores autônomos, inquilinos e desempregados. Isso inclui bancar 80% do salário dos trabalhadores, até 2.500 libras (14.500 reais) por mês, para qualquer empregado que seja licenciado e não demitido. Tudo para garantir que não haja redução na renda das famílias por conta do fechamento temporário de serviços e empresas”, explica.

Ele lembra ainda que os Estados Unidos “anunciou que vai enviar dinheiro diretamente às famílias americanas como parte de um pacote de estímulo à economia que pode chegar a 1 trilhão de dólares, como forma de conter o impacto da pandemia do coronavírus no país”.

“O governo de Portugal anunciou que os trabalhadores autônomos vão receber do governo uma ajuda financeira. O benefício vai durar por até seis meses, no limite máximo de 438 euros (2.400 reais) por mês. Na França, o governo anunciou uma redução, adiamento ou cancelamento de cobranças de até 32 bilhões de euros somente em março. E não está descartada a estatização de empresas, se necessário. E o governo espanhol informou que vai garantir até 100 bilhões de euros em empréstimos às empresas”, finaliza.

Leia Também

Justiça devolve arma de Guarda que desrespeitou toque de recolher
Cidades
Justiça devolve arma de Guarda que desrespeitou toque de recolher
Cantor Fernando processa ex-mulher por ser chamado de pai ausente
Geral
Cantor Fernando processa ex-mulher por ser chamado de pai ausente
Mulher que sumiu de hospital com fratura no pé morreu de hemorragia
Polícia
Mulher que sumiu de hospital com fratura no pé morreu de hemorragia
Deputado argentino toca e beija os seios de mulher em sessão virtual da Câmara
Geral
Deputado argentino toca e beija os seios de mulher em sessão virtual da Câmara