Menu
Busca sábado, 19 de outubro de 2019
Top Ms
Política

Ignorando projeto só para prédios abandonados, vereador quer casas populares longe do Centro

Vereador questiona como famílias vão poder pagar pela manutenção do local, com despesas de condomínio, entre outros problemas

15 setembro 2019 - 13h30Por Ray Santa Cruz

Crítico e contra o projeto que pretende transformar o hotel Campo Grande em moradia popular, o vereador Loester Nunes (MDB) diz que existem prédios mais baratos e que os recursos poderiam ser utilizados na construção de casas em outras áreas.

Além disso, o parlamentar argumenta que não foi pensado no lazer das crianças. Também questiona de onde as famílias com renda até três salários mínimos irão tirar o dinheiro para pagar condomínio e manutenção do prédio. 

“Considerando o nível financeiro da proposta, até três salários mínimos, são pessoas que tem dificuldade. Como vão manter a manutenção do prédio, elevador? São coisas que não estão previstas para o tipo de pessoas que querem colocar lá. Não é que a gente seja contra. Pelo contrário, quero que vivam bem melhor. Com esse dinheiro, que se construam áreas para que eles possam morar, porque merecem ter casa”, explicou. 

(Vereador Loester Nunes- Foto: André de Abreu)

Loester repudiou a postura do prefeito  sobre o projeto e diz que ele induziu a cidade a uma luta de classes, quando foi a imprensa que apontou os contras da ideia. “Isso é jogar a pessoa humilde contra a pessoa que se opõe, aqui são 29 vereadores e não vão seguir o mesmo caminho. Existe um debate. Foi errado, ele devia ter conversado com a gente”.

O parlamentar considerou que o gestor teria que te consultado a Câmara antes de apresentar o projeto em Brasília. Ele diz que faltou diálogo e que, mesmo sendo contra a ideia, a maioria da Casa é a favor. 

Loester não detalhou, no entanto, como o dinheiro poderia ser transferido para construção em outras áreas já que o programa do governo Federal aceita apenas o reaproveitamento de prédios abandonados.