TCE MAIO
TJMS MAIO
Menu
quarta, 25 de maio de 2022 Campo Grande/MS
CÂMARA MUNICIPAL MAIO 2/3 ANO
Repórter Top

Funcionários 'esquecem' tela de proteção em capinagem e motorista é atingido por pedra

Vítima alertou sobre o uso de telas de proteção durante esse tipo de serviço

24 agosto 2018 - 15h09Por Thiago de Souza

Rudney Rodrigues sofreu um corte no lábio após ser atingido por uma pedra que espirrou durante o serviço de capinagem da prefeitura, na rua Lino Vilachá, no Nova Lima. A vítima alertou para o uso de telas de proteção e refletiu que se o objetivo atingisse a filha dele, de dez anos, que estava no carro, a situação poderia terminar pior.
 
Na rede social, Rodrigues fez um desabafo:

''Ficam fazendo serviço e colocando em risco a integridade das pessoas que por ali transitam. Por que eles não colocam a tela de proteção?", reclamou. Você imagina se fosse uma pessoa a pé ou de moto?'', destacou.

Pedras, pedriscos e outros objetos são lançados durante a capinagem devido ao atrito com a  máquina cortadora de grama.  

Registro da capinagem na rua Lino Vilachá, no Nova Lima. (Foto: Repórter Top)

Rodrigues disse ter questionado o responsável pela obra, que relatou ter sim telas de proteção para evitar esse tipo de acidente. No entanto, outro funcionário teria dito que não havia.

O motorista ficou mais indignado, quando, segundo ele, foi questionar um gari a respeito da tela de proteção e teria ouvido que, se ele não passasse por ali, não seria atingido.

''Mas como não vou passar se é uma rua onde não só eu, mas várias pessoas passam
a pé, de carro ou de moto?'', questionou novamente.  

A filha de Rodrigues, que estava no carro, foi outra preocupação. ''Imaginem se a pedra pega na minha filha. Imaginem a situação'', criticou.

Na postagem, Rudney publicou a foto onde mostra o lábio cortado. O grupo no Facebook Aonde Não Ir em Campo Grande, onde foi postada a situação, é dedicado a reclamações de clientes em relação a comércios da Capital. Entre os participantes, alguns relataram ter vivido situações semelhantes. Outros disseram que o local onde o serviço é feito faz diferença no uso ou não das telas.

''Se fosse na Afonso Pena colocariam tela.'', escreveu um internauta. Outro disse: ''a tela é para ser utilizada. Que falta de responsabilidade dos trabalhadores e do chefe de serviços''.

Questionamos a prefeitura a respeito do caso e ainda aguardamos resposta.