Menu
quarta, 20 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
senar 18/10 a 21/10
Saúde

SES autoriza a vacina em trabalhadores da saúde com dose de reforço em MS

A SES recomenda que seja dada prioridade para aqueles trabalhadores em saúde que estejam na linha de frente no enfrentamento à Covid-19 e dentro do cronograma previsto por cada município.

28 setembro 2021 - 12h16Por Rayani Santa Cruz

A Secretaria de Estado de Saúde autorizou os municípios a realizarem a aplicação da dose de reforço em trabalhadores de saúde - de forma decrescente por idade – desde que tenham completado o esquema vacinal (segunda dose ou dose única) a pelo menos seis meses, independente do imunizante aplicado. A medida vale para os trabalhadores de saúde a partir de 40 anos até 18 anos de idade.

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, é importante avançar na aplicação da dose de reforço na população. “Mato Grosso do Sul mostra o compromisso com a vacinação contra Covid e com a vida dos profissionais da saúde.  Logo conseguiremos abranger um público maior para a dose de reforço”, completou.

A SES recomenda que seja dada prioridade para aqueles trabalhadores em saúde que estejam na linha de frente no enfrentamento à Covid-19 e dentro do cronograma previsto por cada município.

A SES também orienta os municípios a continuarem a dose de reforço em idosos e pessoas com doenças autoimunes, que tenham completado o esquema vacinal a pelo menos quatro meses. Além da vacinação em adolescentes de 12 a 17 anos e a pessoas acima de 18 anos.

Destaque nacional

Mato Grosso do Sul colhe os frutos do excelente trabalho realizado para o enfrentamento à Covid-19 e se destaca como o que mais vacinou proporcionalmente sua população contra o Coronavírus.

A excelente performance do Estado está atribuída a rápida distribuição dos imunizantes em até 12 horas para os 79 municípios. Ao pagamento de incentivo financeiro concedido aos municípios em forma de estímulo à vacinação.

Apesar dos excelentes resultados, o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, reforça que ainda não é o momento de baixarmos a guarda e que é preciso seguir as medidas de biossegurança como: o uso de máscaras, higienização das mãos e o distanciamento físico. "E se chegar à sua vez, vacine"!