Menu
Busca terça, 21 de janeiro de 2020
Saúde

Sete áreas de Campo Grande estão em situação de risco para epidemia de dengue

Sesau vai fazer um mutirão de combate ao mosquito Aedes aegypti

14 janeiro 2020 - 16h02Por Diana Christie

Sete áreas de Campo Grande estão em situação de risco para epidemia de dengue. O teste foi realizado pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) através do Levantamento de Índice Rápido de Infestação, o LiRaa,  neste mês de janeiro

Nos locais, o índice de infestação é superior a 3,9%. Em comparação ao [último relatório, de novembro, o número de áreas  em alerta praticamente dobrou, passando de 22 para 42 áreas. Dezoito áreas permanecem com índices satisfatórios. Os dados estão disponíveis para download aqui.

Segundo a Sesau, o índice mais alto foi detectado na área de abrangência da USF Iracy Coelho, com 8,6% de infestação. Isso significa que de 233 imóveis vistoriados, em 20 foram encontrados depósitos.

A área da USF Azaléira aparece em segundo com 7,4% de infestação, seguido da USF Jardim Antártica, 5,2%, USF Alves Pereira, 4,8,  USF Sírio Libanês, 4,4%,  Jardim Noroeste, 4,2% e USF Maria Aparecida Pedrossian (MAPE), 4,0%.

Mutirão

A Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais começa, nesta quarta-feira (15), um mutirão de combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya. A ação vai mobilizar 280 agentes e a estimativa é de que, até sexta-feira (16), aproximadamente 19 mil imóveis sejam inspecionados.

De acordo com a Sesau, as equipes irão atuar de forma simultânea em treze bairros fazendo a inspeção de imóveis, terrenos baldios e identificação e eliminação de focos, além de recolhimento de materiais inservíveis  potenciais criadouros do mosquito e orientação dos moradores.