(67) 99826-0686

Nos pênaltis, Paraguai bate Colômbia e aguarda o vencedor de Brasil x Irã

Em jogo dramático, seleção anfitriã do Mundial cai para rival sul-americano após 0 a 0 no tempo normal e prorrogação

21 SET 2016
O Globo
07h46min
Foto: Getty Images/Fifa

O sonho de conquistar a Copa do Mundo de Futsal Fifa em casa ficou pelo meio do caminho para os colombianos. Jogando em Cali, a seleção da casa suportou a pressão do Paraguai ao longo do tempo normal e prorrogação, levando a decisão da vaga para os pênaltis. Nas penalidades, porém, brilhou a estrela de Carlos Espinola. Conhecido como Lilo, o robusto goleiro reserva paraguaio entrou em quadra apenas para pegar as cobranças de Jhonatan e Otero. A vitória por 3 a 2 coloca o Paraguai, campeão mundial em 1988, nas quartas de final. O adversário sairá do confronto entre Brasil e Irã, que jogam às 19h30 desta quarta, com transmissão ao vivo doSporTV3 e acompanhamento em tempo real pelo GloboEsporte.com.

A primeira chance da partida foi da Colômbia, que jogou desfalcada do craque Angellot, suspenso. Aos quatro minutos, Jhonatan arrancou pelo meio e bateu firme para a defesa de Gimenez. A resposta do Paraguai veio aos sete, quando Francisco avançou em direção ao gol e finalizou rente ao poste esquerdo do goleiro Nañez. Empurrada pela torcida, a Colômbia quase marcou aos 10. Em jogada de contra-ataque, Yefri serviu Zuñiga, que mandou para fora.

Aos 13, o baixinho Camilo saiu rabiscando a defesa paraguaia e concluiu com perigo, à direita de Gimenez. O jogo seguiu movimentado nos minutos seguintes, e, aos 17, o Paraguai teve a melhor chance da etapa. Após boa jogada de Javier Salas, Emanuel Ayala recebeu sozinho de frente para o gol e encheu o pé. A bola explodiu no travessão e se perdeu pela linha de fundo.

As equipes voltaram para o segundo tempo se arriscando um pouco mais. Aos dois minutos, Javier Salas foi lançado na frente e chutou em cima de Nañez, que saiu da meta para praticar a defesa. Aos oito, Jhonatan roubou bola na intermediária e bateu rente ao poste. Na sequência, Nañez fez defesa milagrosa, evitando o gol de Juan Salas no contra-ataque.

O goleiro colombiano seguiu brilhando nos minutos seguintes. Aos 12, ele pegou finalização à queima-roupa de Villalba. O lance motivou ainda mais o Paraguai, que aumentou a pressão nos minutos finais. Aos 14, Gabriel Ayala carimbou a trave. Segundos depois, Ortiz salvou em cima da linha uma bola chutada por Juan Salas, garantindo o 0 a 0 que levou a decisão à prorrogação.

O jogo seguiu com o mesmo panorama no tempo extra. Aos dois minutos, Juan Salas perdeu gol feito dentro da área colombiana. As chances paraguaias continuaram acontecendo. Emanuel Ayala chutou rente ao poste no primeiro minuto do segundo tempo. A seguir, Juan Salas recebeu na área e bateu em cima de Nañez, que mais uma vez garantiu o empate levando a decisão para os pênaltis.

Nas penalidades, o técnico Carlos Chilavert lançou o goleiro reserva Carlos Espinola, que acabou pegando as cobranças de Jhonatan e Otero. Zuñiga e Yefri converteram os seus chutes, mas o Paraguai acabou vencendo por 3 a 2, graças aos êxitos de Juan Salas, Javier Salas e Gabriel Ayala - Emanuel Ayala mandou na trave a primeira cobrança.

Colômbia: Nañez, Ortiz, Sierra, Jhonatan e Camilo Reyes. Entraram: Zuñiga, Yeisson, Yefri, Yulian, Bolivar e Otero. Técnico: Arney Fonnegra.

Paraguai: Gimenez, Emanuel Ayala, Gabriel Ayala, Javier Salas e Francisco Martinez. Entraram: Pedrozo, Santander, Rejala, Morel, Hugo Martinez, Juan Salas, Franco, Villalba e Carlos Espinola. Técnico: Carlos Chilavert.

 

Veja também