Menu
Busca domingo, 05 de julho de 2020
ALMS
Top Esporte

Último ato: Brasil joga pelo bronze na despedida paralímpica do futebol de 7

Retirada do programa dos Jogos Paralímpicos a partir de Tóquio 2020, modalidade terá brasileiros e holandeses duelando pelo 3º lugar nesta 6ª

16 setembro 2016 - 10h46Por Globo Esporte

No início do ano passado, uma reunião do Comitê Paralímpico Internacional (IPC - sigla em inglês) determinou a retirada do futebol de 7 do programa paralímpico. Presente na Paralimpíada desde 1984, a modalidade terá o seu último ato nos Jogos nesta sexta-feira, quando acontecem as finais da Rio 2016. Goleado pelo Irã na semifinal, o Brasil enfrenta a Holanda às 14h, na disputa do bronze. Pouco depois, às 17h, iranianos e ucranianos duelam pela medalha de ouro.

- Foi uma notícia muito triste saber da saída do futebol de 7 da Paralimpíada. Nós brigamos muito para ter mais espaço para o nosso esporte e agora acontece isso. Só que temos que pensar no agora e buscar essa medalha a qualquer custo para nos despedirmos dos Jogos Paralímpicos do melhor jeito - afirmou o meia-atacante Maycon.

O motivo alegado para a retirada do futebol de 7 do programa paralímpico foi a ausência de praticantes da modalidade em alguns continentes, o que fere o princípio da universalidade proposto pelo IPC. Favorita ao ouro nesta sexta, a Ucrânia é tida como maior potência desse esporte ao lado da Rússia, banida da Rio 2016 devido a um escândalo de doping envolvendo todo o esporte russo. África e Ásia (à exceção do Oriente Médio) têm poucos praticantes. Nas Américas, o Brasil é dominante, com Argentina e Estados Unidos brigando pelo posto de segunda maior seleção.

Gerido internacionalmente pela CP-ISRA (Associação Desportiva e Recreativa Internacional de Paralisia Cerebral) e no Brasil pela Ande (Associação Nacional de Desporto para Deficientes), o futebol de 7 ainda tentará uma última cartada para estar nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. O caminho é o mesmo seguido por surfe, skate, beisebol, escalada e caratê, incluídos num pacote de modalidades extras a serem disputadas na Olimpíada do mesmo ano.

- Nossa ideia é incluir o futebol de 7 nos mesmos moldes das cinco modalidades incluídas na Olimpíada de Tóquio. Em novembro do ano passado, tentamos reverter a retirada numa reunião com o COI e com CP-ISRA, mas não tivemos êxito. Sabemos que é difícil mudar essa decisão, mas vamos continuar trabalhando até onde der - comentou o coordenador da seleção brasileira de futebol de 7, Hélio dos Santos.

Em meio à crise política que vive a modalidade, o Brasil tenta juntar os cacos da humilhante derrota da semifinal para sair da Rio 2016 com o bronze. Virada a página da goleada sofrida para o Irã, a seleção espera vencer a Holanda e conquistar a sua terceira medalha paralímpica na modalidade - o país foi prata em Atenas 2004 e bronze em Sydney 2000.

- Nesse momento, a melhor recuperação para a derrota da semifinal seria o bronze. A medalha é uma coisa mais importante numa Paralimpíada. São oito seleções e você chegar em terceiro lugar é bastante gratificante - concluiu o técnico Paulo Cabral.

Leia Também

Antes de perder batalha contra covid-19, Maria gravou vídeo e pediu que família se cuidasse
Algo mais
Antes de perder batalha contra covid-19, Maria gravou vídeo e pediu que família se cuidasse
Após ser infectado e curado da covid-19, Alex propõe reflexão sobre cuidados contra doença
Algo mais
Após ser infectado e curado da covid-19, Alex propõe reflexão sobre cuidados contra doença
'Um amigo, um conselheiro', diz Délia sobre secretário assassinado em Dourados
In Memoriam
'Um amigo, um conselheiro', diz Délia sobre secretário assassinado em Dourados
TOQUE DE RECOLHER: Guarda acaba com festa de 100 pessoas e manda mais 275 para casa
Cidade Morena
TOQUE DE RECOLHER: Guarda acaba com festa de 100 pessoas e manda mais 275 para casa