(67) 99826-0686
Camara municipal

Jovem sofre grave acidente, tem crânio despedaçado e pede ajuda para comprar prótese

Natália foi atropelada por um veículo, ficou três meses em coma e acabou sem crânio

6 DEZ 2018
Dany Nascimento
07h00min
Foto: Repórter Top

Após sofrer um acidente em 2009 e ficar três meses internada na Santa Casa de Campo Grande, Natália Oliveira, 27 anos, sonha conseguir uma prótese para a cabeça e não se privar das rotinas do dia a dia. A jovem foi vítima de um atropelamento em uma rodovia do Estado e teve o crânio despedaçado.

“O médico falou que se não tivesse despedaçado o crânio até dava para reutilizar, mas como quebrou em pequenos pedaços, ele foi descartado. Eu ia para a escola de ônibus escolar e tinha acabado de passar uma carreta, quando eu e outras crianças fomos atravessar. Eu sei disso porque as pessoas me contam, porque eu não lembro de nada que aconteceu naquele acidente. Vinha um carro atrás da carreta, que atropelou eu e uma menina de 6 anos que também tentava atravessar. Eu cai com a cabeça no chão e deu traumatismo craniano”, relembra a jovem.

Em três meses de internação, a jovem ficou em coma induzido. “Eu fiquei três meses em coma, os médicos induziram porque minha mãe conta que eu ficava muito nervosa quando abria os olhos. Ficava muito agitada, eu não me recordo disso, mas minha mãe conta”.

Natália destaca que não tem condições de comprar a prótese, que custa em torno de R$ 188,3 mil. “Eu moro com meus pais. Meu pai trabalha em uma firma de sementes e minha mãe é babá e trabalha em casa. Eu não posso pegar sol porque meu cérebro está embaixo do meu couro cabeludo. Eu fico tonta com frequência, fiquei com sequelas. Sou professora, mas não posso trabalhar porque, se tiver muito calor, eu sinto muita tontura”.

A professora recebe benefício do governo, mas afirma que tem direito a apenas mais quatro meses. “Não sei como será, preciso muito dessa prótese para conseguir ter uma rotina normal”.

Para ajudar Natália ligue 67- 99863-1113 ou 067 98145-4199.

Veja também