(67) 99826-0686
Balanço PMCG fev

Jornalista é agredido por secretário de finanças dentro da Câmara Municipal

Antônio Fabiano Portilho, proprietário do Portal I9, foi agredido por Luiz Sérgio Vieira Dias

14 SET 2016
Vinícius Squinelo
13h31min
Foto: Reprodução

O jornalista Antônio Fabiano Portilho, proprietário do Portal I9, foi agredido pelo Secretário Geral de Administração e Finanças da Câmara Municipal de Campo Grande, Luiz Sérgio Vieira Dias, dentro da própria Casa de Leis. A agressão ocorreu na manhã desta quarta-feira (14), e Fabiano irá registrar o boletim de ocorrência nesta tarde.

Conforme informações de Portilho, ele estava na recepção da presidência, para falar com o vereador João Rocha, quando ocorreu o fato. “Eu estava aguardando quando o Luiz Sérgio apareceu. Eu o denunciei em matéria do I9, já que ele, por exemplo, é investigado na Lama Asfáltica. Ele começou a fazer ameaças veladas em minha direção”, denunciou Portilho.

Conforme o jornalista, por três vezes Luiz Sérgio teria falado em direção a ele. “Primeiro falando algo como ‘quem fala bosta tem que apanhar’, depois até em morte, e por último falando que ‘lixo tem que ser jogado no lixo’, foi quando eu rebati”.

Portilho teria falado: “tem que jogar lixo no lixo mesmo, ainda mais nessa Câmara Municipal, cheia de lixo”. Luiz Sérgio então teria perdido o controle e partido para a agressão, chegando a desferir socos contra o jornalista. Isso tudo conforme a denúncia de Portilho. Ele só foi parado por um segurança da Câmara e pelo chefe de gabinete de João Rocha.

“Eu nem tentei reagir, se não fosse o segurança ele teria me espancado”, contou Portilho. Ele ainda perdeu os documentos durante a confusão. O jornalista e seu advogado, Valdir Custódio, vão registrar o boletim de ocorrência do caso nesta tarde.

A denúncia
A matéria que teria causado a confusão foi publicada no Portal I9 no dia 9 de agosto deste ano, e assinada por Fabiano Portilho. Confira o material abaixo no clique aqui:

“A Polícia Federal, no âmbito da Lama Asfáltica, investiga o porquê da Câmara Municipal de Vereadores de Campo Grande manter ainda Luiz Sérgio Vieira Dias como Secretário Geral de Administração e Finanças na Casa de Leis. Luiz Sérgio além de ser braço-direito do ex-presidente da Câmara Municipal, Mário Cesar (PMDB), investigado na Operação Lama Asfáltica da Policia Federal, é também "homem de confiança" de outro investigado, o ex-secretário-Adjunto do Governo Puccinelli, André Luiz Cance. O trio trabalhou junto na prefeitura de Campo Grande, na administração André Puccinelli.

Vieira Dias financiou também a campanha a Vereador de Mário Cesar em 2008 e 2012. Conforme escutas da Policia Federal autorizada pela Justiça Federal, o empreiteiro João Amorim, pivô da Lama Asfáltica, o empresário de informática João Baird e o presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, Mário Cesar (PMDB), teriam articulado um esquema de compra de votos para a cassação do mandato do então prefeito Alcides Bernal (PP) em 2014.

Em sessão realizada em 13 de março de 2014, Bernal foi cassado, acusado de improbidade administrativa, por 23 votos favoráveis e apenas seis contrários. As escutam mostram as supostas propinas para que os vereadores votassem pela cassação eram tratadas nas conversas entre os três, conforme relatório da PF, como ‘cafezinho’ ou ‘suco’.

Em um dos diálogos entre Mário Cesar e Amorim, o presidente da Câmara reclama sobre o que a PF considera um pedido de aumento na propina por parte de algum dos vereadores:

Mário: É, a cada parada tem que tomar um suco. Na outra parada tem que tomar uma melancia. Entendeu? João: Só não é bom pra quem ‘tá’ comandando a viagem.

Alcides Bernal, desde quando começou o processo político que culminou com sua cassação, tenta provar na justiça que foi vítima de um golpe. Reiteradamente ele culpa André Puccinelli por ter articulado sua queda, tese que pode ganhar força a partir das novidades surgidas com as escutas, tendo em vista as ligações de João Amorim e Mário Cesar com o ex-governador.”

Veja também